10/10/2017

Resenha | Tudo e Todas as Coisas

Tudo e Todas as Coisas
  • Autora: Nicola Yoon
  • Editora: Arqueiro
  • Páginas: 269
Tudo envolve riscos. Não fazer nada também é arriscado. A decisão é sua. A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.


Ei gente! Hoje vim falar um pouco com vocês a respeito do livro Tudo e Todas as Coisas escrito pela Nicola Yoon. Já havia conhecido o trabalho da autora em O Sol Também é uma Estrela - que gostei muito a propósito. E não me decepcionei nessa história. Faz parte daqueles YA clichês, mas que dá quentinho no coração de qualquer forma.


Madeline possui uma doença rara em que ela não pode sair de casa desde que nasceu. Como ela mesma descreve no livro, ela é alérgica ao mundo. Dessa forma, não possui muitos contatos - a não ser de sua mãe, sua enfermeira Carla e seus amigos online. Até o dia que vizinhos novos chegam e ela conhece Olly. Mesmo não podendo sair de casa, ambos começam a conversar e se conhecer por suas janelas e pelas mensagens no computador. E, é claro, que nessas idas e vindas Madeline iria se apaixonar. E causar muita transformação em sua vida.


Tudo e Todas as Coisas é aquele livro que você de cara se apega a protagonista. Você se coloca no lugar dela e pensa em tudo o que ela passa - apenas para sobreviver. E a autora transmite isso para o livro de uma forma tão bonita e leve que a conexão é imediata. A escrita aqui é ainda mais fluida de se ler do que em seu trabalho anterior e cada elemento gráfico do livro enriquece a experiência.



O livro é todo escrito como se fosse mesmo a Madeline a autora. Seus desenhos, gráficos e sonhos estão transmitos para nós, leitores. E quando Olly chega e trás experiências novas a jovem, em todo o momento você se pega sorrindo enquanto lê. Gostei muito da personagem Carla. Achei ela fundamental na vida da Madeline e em todo o contexto do livro. Olly é um rapaz fofo e que cumpre o papel de par romântico inicialmente. Mas depois os problemas de sua vida também são inseridos na trama e ele acaba ficando mais interessante.


Como eu disse lá em cima, Tudo e Todas as Coisas é clichê. Soube do desfecho do livro bem antes do final, mas isso não me fez gostar menos do livro. Então, tenham em mente isso. Assisti também o filme e gostei bastante do que fizeram na adaptação. Os elementos principais e fofos estão ali. Só senti falta mesmo do conflito que Olly sofre. Mas vale a pena ser visto! 📚❤️😘

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo