30/12/2016

Melhores Leituras de 2016


YAY! Mais um ano repleto de leituras maravilhosas pelo menos isso, né 2016? Publiquei no instagram uma foto dizendo que não tinha meta de livros esse ano. Estou bem desapegada com isso, porque em cada momento da vida temos um ritmo diferente. Para quê colocar um número? Esse ano li 43 livros - menos que os outros anos? Sim - e fiquei bem feliz com isso, já que existiram diversos fatores para que eu lesse bem menos. 

Fiz um Top 5 de livros preferidos em 2016. E - por destino - todos eles são de fantasia. E narrados por uma protagonista super girl power. Não poderia ser diferente, esse vem sendo meu gênero literário preferido se vocês souberem de mais algum título, podem me indicar. Mesmo eles sendo relativamente grandes em número de páginas, não me incomodei nenhum pouco. Inclusive, li alguns desses mais rápido do que outros bem mais finos. Vamos aos melhores do ano? (não vou especificar tanto da história, porque temos resenhas deles aqui no blog 😊)


5º lugar - Uma Chama Entre as Cinzas

Esse livro foi a grande surpresa do ano para mim. Não apostava minhas fichas nele, recebi de cortesia e resolvi dar uma chance. Descobri uma fantasia incrível, com uma protagonista que começou bem apagada, para ir crescendo aos poucos e mostrar o quão forte pode ser. É uma das continuações que mais estou esperando em 2017. Fiquei muito tentada a ler todo e qualquer livro da Sabaa Tahir daqui por diante.

4º lugar - Dama da Meia-Noite

Os livros da Cassandra Clare sempre tem um lugarzinho especial nos favoritos de cada ano e não poderia ser diferente nesse. Dama da Meia-Noite é o primeiro livro de sua nova trilogia, trazendo personagens fortes e conturbados, além de uma narrativa incrível. Achei a melhor trama construída e escrita por ela - muito por conta do encontro de todas as suas histórias nesse volume. O segundo volume de Os Artifícios das Trevas é o outro livro que está na minha lista desesperada para ler em 2017.

3º lugar - Lembrança - A Mediadora 7

Eu realmente não poderia deixar o revival de uma das minhas séries literárias da adolescência favoritas. Foi uma surpresa e - um certo receio - ver que a Meg Cabot iria lançar mais um livro da série A Mediadora. Esperei ansiosamente o lançamento em terras brasileiras. E ler esse livro me deu um sopro de nostalgia tão bom! O medo foi embora e mostrou o quão boa autora a Meg pode ser em continuações tão distantes. Todas as personalidades dos personagens estavam ali. Toda a emoção em reencontrá-los. Foi maravilhoso.

2º lugar - A Rainha das Sombras - Trono de Vidro 4

Quando terminei esse livro, eu tinha certeza que ele seria minha melhor leitura do ano. Ia ser muito difícil batê-lo, até porque Trono de Vidro está sendo a minha série favorita de livros atualmente. Tudo o que eu achei que tinha vivido e sentido no terceiro livro, foi muito maior e mais do que esperava. A Sarah J. Maas tem uma coisa incrível como autora. A cada livro, ela só vai crescendo mais e mais. História, personagens. É uma coisa de maluco. O quinto volume dessa série também se encontra na categoria desespero de 2017.

1º lugar - Corte de Névoa e Fúria

Lembra que eu disse aí em cima que eu achei que o quarto volume de trono de vidro seria a melhor leitura do ano? Imaginem minha reação quando OUTRO livro de OUTRA série da mesma autora me faria tirá-lo do posto. Eu simplesmente não sei descrever o que senti lendo Corte de Névoa e Fúria. Foi um sentimento muito parecido com o que tive na finalização de Princesa Mecânica - e isso significa muito para mim. Esse livro conseguiu crescer de forma exponencial, mesmo fazendo mudanças drásticas do que foi proposto no primeiro volume. Eu sinceramente não sei o que esperar para o próximo volume. Os outros estão na categoria desespero, né. Esse é na categoria "pelo amor de Deus não sei o que fazer da vida". Só um pouco de drama. 

Um Feliz Ano Novo para todos vocês. Muito obrigada por acompanhar o Memórias Literárias por mais um ano! Sou eternamente grata!


27/12/2016

Melhores Séries de 2016


2016 foi um ano excelente em matéria de estreia de seriados aparentemente só para isso mesmo, porque o resto. Fiz uma listinha com quatro seriados que estrearam em 2016 - mentira, tem um antigo. Mas eu só comecei a ver esse ano - e que entraram para minha lista de favoritos. Até da vida, se bobear. Netflix ocupou 50% das escolhas e poderia ter sido mais, mas quis equilibrar as escolhas. Todo amor a Netflix 💓

Victoria foi a série que mais me conquistou em 2016. Já fiz um post aqui no blog indicando e falando um pouco a vocês a respeito dela. Para quem ainda não sabe - eu falo sobre isso sempre - eu gosto muito da história da Inglaterra e da monarquia britânica. E, para completar, o meu período favorito na história deles, é a Era Vitoriana - onde Victoria era rainha. Por isso, essa série da ITV me marcou tanto: além de contar a história que mais gosto, ela é lindíssima. Muito bem feita, com atores maravilhosos. Ela estreou com 8 episódios e já foi renovada graças a Deus para a segunda temporada. É muito amor envolvido!
The Last Ship foi um achado de final de ano. Na verdade, foi a indicação de uma amiga mesmo que me convenceu contando o enredo. E, é claro, que o Eric Dane é o protagonista - saudades Mark Sloan em Grey's. Só que eu não contava com uma coisa: que eu iria viciar completamente. A série já tem 3 temporadas de 13 episódios - com exceção da primeira que possui 10 - e foi renovada até a quinta. Basicamente, ela consiste em uma missão que um dos navios da Marinha Americana precisa realizar: achar a cura de uma doença que está dizimando completamente a raça humana. Olha... eu nunca senti tanta raiva de uma série na vida - e eu assisto muitas. A minha raiva é com o quão verídica ela pode se tornar e o quão horrível o ser humano pode ser. Comecei domingo passado e já estou na terceira temporada, só para vocês sentirem meu desespero. 

23/12/2016

Minha Playlist de 2016


Todo ano lançam dezenas de músicas bacanas que compõem minhas playlist do spotify por muito tempo. Sou bem eclética com relação a elas - ouço vários ritmos e gêneros - a maioria esmagadora são músicas internacionais. Além de tudo, eu acabo conhecendo artistas novos que me apego. Em 2016 não poderia ser diferente disso. Muitas músicas boas, algumas chicletes, outras que nem consigo ouvir mais de tanto que já tocou. Mas sempre tem aquelas favoritas do ano e da vida. Resolvi compartilhar com vocês algumas daquelas que deixaram meu ano um pouco melhor em várias situações - bad, alegria, faxina. Tudo misturado. 😉😊

Minha grande descoberta do ano foi a cantora Dua Lipa - inglesa de 21 anos que mesmo sem ter grandes padrões vocais, me conquistou com os ritmos de suas músicas. Eu meio que viciei em todas as músicas lançadas dela. Me segurem. hahahahaha Talvez vocês devam conhecer seu single "Be the one" - o mais conhecido e que vive tocando nas rádios, nas playlists de músicas mais tocadas e nos canais de clipes (sim, eu ainda assisto MTV quando passam clipes kkkkkkkk). É claro que não só de novidades minha playlist foi feita: tem muita música véia e que eu não canso de ouvir. Quem quiser aproveitar, basta dar play na playlist abaixo. Me contem sobre o ano musical de vocês! Muitas novidades? Ou as véias são melhores? hahahahahaha (algumas músicas não puderam ser colocadas na playlist, porque não estão disponíveis no spotify).



19/12/2016

Resenha | Legado

Legado
  • Autor: Hugh Howey
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 368

A batalha pelo Silo já foi vencida. A guerra pela humanidade só está começando. É um tempo em que, para sobreviver, os humanos precisam se manter em cidades subterrâneas, aprisionados, sem ligação com o mundo lá fora. Esse é o universo de Silo, a série de ficção científica e fantasia escrita por Hugh Howey. Juliette, uma operária nascida nos subterrâneos, é a heroína da trama apocalíptica. Em Legado, ela se torna prefeita do Silo 18, que está se recuperando de uma rebelião. Seu governo encontra grande resistência por causa da controversa escavação para resgatar os supostos sobreviventes do Silo 17, uma empreitada vista com desconfiança que está espalhando o medo entre os moradores do Silo 18. Como se isso não fosse um desafio grande o bastante, Juliette também recebe transmissões de Donald, a voz que alega ser líder do Silo 1 e está disposta a ajudar — mas também é capaz de fazer ameaças horríveis. Talvez Donald não seja o monstro que Juliette vê. Quem sabe ele não é a peça-chave para a salvação de toda a espécie humana? Mas será que ainda há tempo? No último volume da série Silo, as escolhas de Donald e Juliette podem mudar o mundo… ou extingui-lo de vez.

12/12/2016

Gilmore Girls: A Year In The Life - Valeu a Pena?


Lembro como se fosse ontem: todos os domingos eu acordava cedinho. Tomava meu café, ia para sala e mudava o canal para o SBT. Ia começar todos os seriados que acompanhava na época. Aliás, nem existia muito esse conceito de seriado para mim na época. Não era a maluca que sou hoje. Não importava. Esperava Smallville, The OC, One Tree Hill e Gilmore Girls - minha favorita. Não perdia um episódio. Só ficava mesmo revoltada quando a emissora - ao invés de dar continuidade nas temporadas - repetia toda vez. Ficava brava? Sim, mas assistia tudo de novo sem reclamar. 

Até que as manhãs de domingo assim não mais existiram. Na época internet era uma loucura - sábado depois do meio-dia e domingo o dia todo. Não tinha TV paga. Ou seja - não consegui finalizar nenhuma das séries que assistia. Os anos passaram e eu acabei me esquecendo.

Até que a maravilhosa Netflix surgiu com a notícia: vamos fazer um revival de Gilmore Girls. Vamos mostrar notícias novas de Stars Hollow. E eu pirei. Toda minha infãncia/adolescência voltando e eu não conseguia parar de sorrir e imaginar. Resolvi maratonar a série toda de novo - não consegui terminar antes do revival, mas quem liga. E me senti pronta para saber mais das duas "Lorelais" e todos os outros personagens que me cativaram tanto.


Confesso: não estava com todas as expectativas altas. Afinal, isso é um tiro no pé. Mantive meus pés no chão e por isso eu pude curtir muito os quatro episódios sem cobrar tanto. Claro que não fechei meus olhos para algumas coisas que não me agradaram tanto, mas consegui sentir a nostalgia. Aliás, o revival valeu exatamente por isso: pela nostalgia de tudo. Do ambiente, das situações, dos diálogos maravilhosos. Relevei muita coisa e aproveitei. 

As atrizes que interpretam Lorelai e Rory demoraram um tanto para entrar nas personagens. O início foi bem mecânico e só consegui entrar no clima minutos depois. Em contrapartida, Emily, Luke e Paris pareciam que não tinham saído da ambientação do seriado. Foram os melhores personagens para mim. O que mais me surpreendeu foi o crescimento de um personagem que nem todos gostam: Jess. Ele foi o que mais amadureceu do elenco mais "jovem". Alguns atores mal tem cinco minutos de cena - o que me fez ficar bem triste. Mas estavam presentes de qualquer forma. 

O que realmente me incomodou no revival foram as atitudes de Rory. Sempre admirei a personagem dela por n motivos, mas nesses quatro episódios foi difícil demais defendê-la em algumas situações. Ela já tem mais de 30 anos! Vamos amadurecer. Coisa que sua mãe - Lorelai - também precisou fazer. Com mais acertos que a filha, a propósito. Os melhores episódios na minha opinião são o segundo e o quarto. O segundo pela presença e cenas maravilhosas da Paris. E o último por ser o fechamento. Ou não.

As quatro últimas palavras proferidas no episódio de outono dão margens para dezenas de interpretações. Será que vamos ter mais temporadas novas? Ou acabou por aí? Ambas as situações podem ocorrer. Caso a série tenha continuidade, ela precisa ser muito bem roteirizada para não cair na repetição - quem assistiu vai me compreender aqui. Tudo deve ser feito caprichado para que a série não vire mais do mesmo.

De uma forma geral, me senti presenteada pela Netflix. Revivi muitos momentos e lugares que me trouxeram nostalgia e sentimentos bons. Ainda estou na dúvida se quero ou não uma continuação, mas sei que os fãs ficaram encantados com tudo. Foi uma ótima forma de fechar o meu ano de seriadora.


07/12/2016

Resenha | O Erro

O Erro
  • Autor: Elle Kennedy
  • Editora: Paralela
  • Páginas: 279
Logan parece viver uma vida de sonhos. Com um talento incrível para jogar hóquei e um charme inato para conquistar mulheres, ele é uma das maiores estrelas da universidade de Briar. Mas por trás do característico sorriso maroto, ele esconde duas grandes angústias – a primeira, estar apaixonado pela namorada de seu melhor amigo. A segunda, saber que sua vida, após a formatura, se tornará um beco sem saída. Um dia, por acaso, ele conhece Grace, uma garota tão encantadora quanto intrigante. Tudo nela parece ser original e deliciosamente contraditório – tímida, mas ao mesmo tempo vibrante. Doce, mas ao mesmo tempo forte e confiante. A cada encontro, Logan se vê mais e mais envolvido. Mas um grande erro colocará o relacionamento desses dois jovens em risco. Agora, Logan terá que se esforçar para reconquistar Grace – nem que para isso ele precise amadurecer e encarar de frente as suas questões mais profundas e doloridas.

05/12/2016

Cinco Dicas de Séries

Oi gente, tudo bem?
Hoje teremos um post um tanto quanto diferente no blog. Hoje falaremos sobre séries *uhul*. Sim, caros amigos! Séries. Acredito que assim como eu, a maioria tem uma série que gosta de acompanhar diariamente, fazendo com que as vezes percamos até noites de sono por conta da dita cuja, haha. 
Nesse post resolvi trazer 5 dicas de séries pra tirar o sono de qualquer um, fazendo com que entre para mais uma listinha das muitas séries que precisam ser acompanhadas e compartilhadas com o mundo - isso mesmo, o universo precisa conhecer e dar uma oportunidade para elas. 
Vamos lá?
1 - The New Normal

A primeira série a ser apresentada nesse post, é The New Normal. O foco da série são questionamentos e o possível dia a dia das minorias: encontramos um casal gay que estão dispostos a contratarem uma barriga de aluguel para a concepção de seu filho, uma mãe solteira, uma negra e uma mulher com a idade mais avançada, porém muito preconceituosa - que passamos a gostar dela a partir do momento em que a mesma muda completamente. Gente, sério! Não tem como acompanhar o dia a dia dessa família, e não achar hilária as situações que eles se metem, haha. Além do conjunto cute + amorzinho, percebemos que a série traz uma total crítica a sociedade moderna que se diz aceitar as minorias, entretanto, não é bem assim a realidade vivida. 

01/12/2016

O que virá por aí | Além dos Livros


Umas duas semanas atrás eu fiz um post aqui no blog pedindo a todos os leitores que me ajudassem respondendo uma pesquisa de opinião - muito obrigada mesmo a todos que tiraram um tempinho para responder. E com as respostas que obtive nela tive mais certeza do que nunca a respeito do que queria: o blog precisava de mudanças. Eu precisava de liberdade, de escrever outros assuntos além dos livros. E - como vocês também responderam isso na pesquisa - fico mais feliz ainda ao anunciar: o Memórias Literárias terá muito conteúdo além dos livros.

Esse ano de 2016 não foi muito bom para mim em vários aspectos, mas fatores externos trouxeram consequências até para o blog. As postagens ficaram mais escassas, tive problemas de saúde, não conseguia ler... enfim, foi virando uma bola de neve imensa. Precisava me reinventar, mas o tempo também acabou sendo um fator para que isso só pudesse acontecer agora. Não quis esperar o ano terminar. Por que começar algo depois se você pode fazer hoje?

O blog continuará com as resenhas, indicações e posts sobre livros, Aline? Sim! Com certeza. Só que agora esses posts dividirão o espaço com outros assuntos. Filmes, seriados, músicas, organização, planner e papelaria, mais textos meus sobre aleatoriedades, por que não? Quero dizer a vocês que agora o Memórias Literárias vai ficar muito mais livre, com espaço para muito mais coisas que antes. E estou aceitando mais sugestões, ok? Sempre podemos melhorar. 

Para que isso aconteça, vou contar com a ajuda de algumas colaboradoras - além da Laiara que trás algumas resenhas para vocês - vamos ter a presença da Talita - falando um pouco sobre filmes - e da Thayara - que vai falar um pouco de organização e papelaria. Eu vou continuar a cargo da maior parte dos posts, falando sobre livros, seriados, música e planners. Como uma boa virginiana, pretendo organizar tudo certinho, ter dias corretos para cada post/assunto e deixar o blog sempre atualizado. 

Não coloquei na pesquisa, mas queria saber de vocês: vídeos são válidos? Vocês preferem resenhas em vídeo ou escritas? Outros assuntos também abordados em vídeos? O meu grande problema com vídeos é a parte de edição. Sou uma negação para isso, mas estamos aí para aprender, não é mesmo? Vai que dá certo. hahahahaha

Agradeço mais uma vez o suporte e ajuda de todos. Espero que 2017 seja um ano melhor para nós todos e que nos traga mais animo para todos os projetos e sonhos. 😊💗


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo