23/08/2016

Resenha | Pó de Lua - Nas Noites em Claro

Pó de Lua - Nas Noites em Claro 
  • Autor: Clarice Freire
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 208


Quando a noite fica mais escura e as ruas se calam, a maior parte das pessoas dorme e sonha. Algumas, porém, preferem o silêncio para sonhar acordadas. Clarice Freire, autora do best-seller Pó de lua, faz parte desse grupo. É nessa hora que costuma criar suas poesias e seus desenhos. Em seu segundo livro, Pó de lua nas noites em claro, ela vira a madrugada ao avesso em palavras e imagens, dedicando uma hora a cada capítulo, da meia-noite ao amanhecer. Além dos versos que conquistam o público desde 2013, quando foi criada a página Pó de lua no Facebook, Clarice alterna passagens em prosa e poesia, acompanhando sua personagem durante um longo e mágico passeio pela cidade quase deserta. Com um humor delicado e muita sensibilidade, a autora desvenda a angústia e a alegria daqueles que preferem a noite ao dia. Sua personagem insone se rende ao desejo de sair da cama e andar pelas ruas em busca de si mesma. Descobre que não está sozinha. Os sentimentos e as lembranças ganham vida, e ela esbarra em personagens como um homem que vaga por viadutos, um vigia noturno e até um misterioso carteiro que lhe entrega correspondências às três da manhã. Com lápis de cor e tinta nanquim, Clarice ilumina a escuridão e continua fiel à missão de Pó de lua: diminuir a gravidade das coisas.



Ei gente! Ano passado a autora Clarice Freire passou tudo o que postava na sua página Pó de Lua para um lindo livro - juntamente com a Editora Intrínseca - de mesmo nome. Eu me senti extremamente conectada com todas as mensagens e palavras que ela colocou naquelas páginas. Mal podia esperar para que mais um trabalho dela saísse. E assim que Pó de Lua - Nas Noites em Claro foi publicado, quis muito ter aquela experiência igual tive com o livro anterior. Só que ela foi até melhor do que eu esperava. 


Assim como no primeiro volume, Clarice Freire trás para seus leitores textos e ilustrações maravilhosas. Dessa vez, percorremos todas as etapas de uma noite/madrugada até o amanhecer. Sentimentos conflitantes, pensamentos e sonhos que voam durante o sono ou a falta dele. E é ótimo lê-lo nesse período - que foi como fiz. A diagramação mais uma vez está lindíssima. É difícil não se apaixonar visualmente pelo livro, porque sua concepção é toda casada com o tema. A lombada das páginas é amarela e essas bordas circulares dão um toque ainda mais doce.

É difícil eu comentar com vocês a respeito da estrutura de texto e o que está inserido no livro. Muito porque isso depende de cada leitor. As estruturas são infinitas e modo como elas se apresentam a cada pessoa que as lê também. Então, o que posso dizer para vocês foi a forma como me senti lendo Nas Noites em Claro. Foi um livro que caiu como uma luva nesse momento da minha vida. As palavras, poemas e imagens que folheei me deram no que refletir e me fizeram um pouco mais confiante e feliz. 


São apenas palavras e folhas, mas o poder que elas tem é incrível. Clarice Freire sabe como tocar aquele que esteja preparado ou não para receber seus textos e conselhos. É involuntário sorrir - às vezes até encher os olhos d'água - com os momentos que tive. É aquele livro que vale a pena ser lido mais de uma vez. Em várias fases do ano ou da vida. Com trinta minutos você o termina de ler, mas aconselho a saborear por mais tempo. Por isso mesmo a releitura é bacana de ser feita. Em um tempo maior até.

Para quem gostou do primeiro volume, pode seguir em frente com Pó de Lua - Nas Noites em Claro. E para quem ainda não conhece o trabalho da autora - mas gosta do estilo - vale a pena dar muitas chances. São momentos, linhas e cores que nos fazem bem e ao mesmo tempo nos fazer dezenas de perguntas.

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Deu vontade de lêr os dois Aline
    As vezes gostaria muito de vagar sem rumo pela madrugada quando me vejo sem sono e inquieto com meus pensamentos, infelismente na nossa realidade isso é um pouco perigoso.

    ResponderExcluir
  2. Outro dia fui no cinema e quando sai fiquei vagando pelas ruas a procura de algo para comer. Queria algo diferente. Acabei não parando em lugar algum, mas fiquei pensando e refletindo sobre a vida. Ainda bem que cheguei em casa sã e salvo.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, sou doida pra ter aquele outro dela e agora esse. É um jeito de escrever bem diferente e fica gostoso de pegar em um dia e só abrir pra ler tal página ou coisa assim. É um livro bem interessante. E fica a critério de cada um a forma de apreciar, você pode ler de uma vez ou fazer aquele esquema de abrir em um dia em tal página. Esse parece ser tão legal quanto o primeiro.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo