06/06/2016

Resenha | Felizmente, o Leite

Felizmente, o Leite
  • Autor: Neil Gaiman
  • Editora: Rocco
  • Páginas: 128

Uma prosaica ida até o mercado se transforma numa incrível aventura no mais recente livro infantil do celebrado escritor britânico Neil Gaiman, que coloca um estranho objeto prateado no caminho de um pai que só queria comprar um pouco de leite para o café da manhã. Aliás, aquele disco prateado gigantesco estacionado em plena rua Marshall, com seres verdes um tanto gosmentos e bastante ranzinzas querendo reformar o (nosso) mundo, é só a primeira de muitas surpresas que esperam pelo zeloso pai de família na história, que inclui ainda viagens no tempo e no espaço num balão, um dinossauro inventor, navios piratas, vulcões e outras maluquices. Será que o café da manhã das crianças está a salvo? Com ilustrações incríveis de Skottie Young, Felizmente, o leite é uma história de fantasia com uma boa dose de nonsense e o senso de humor peculiar de Neil Gaiman



Resenha feita pela colaboradora Gabriela Erler

Só mesmo o Neil Gaiman para escrever algo assim!

Felizmente, o Leite conta a história de uma simples família. A mãe foi para uma conferência e então o pai ficou a encargo de cuidar das duas crianças, um menino e uma menina. Logo no segundo dia sem a mãe, o leite para o cereal acaba, então o pai vai ao mercadinho comprar mais. O que era para ser apenas um rápida ida ao mercadinho, se torna uma grande jornada, onde o pai é abduzido por seres verdes gosmentos, viaja no tempo, passa por vários sufocos para, enfim, trazer o leite para casa.

"Então uma coisa esquisita aconteceu.
- Isso já não foi esquisito? - perguntei.
- Bem, ainda mais esquisito - respondeu meu pai. - Esquisito foi o facho de luz que desceu do disco, um facho de luz cintilante e reluzente, visível mesmo à luz do dia. E aí, quando dei por mim, fui sugado para dentro do disco". (p.23)


Esse livro é uma fofura e uma graça. A jornada que o pai passa para que seus filhos consigam ter o leite para o café da manhã é tão mirabolante, que até poderia ser real. Os personagens não tem nome, o que é normal em alguns livros do autor, dá uma aura mais mística a tudo.

Neil Gaiman consegue transformar uma história simples em algo incrível e isso é o que eu mais amo no autor. Cada personagem é desenvolvido a sua maneira e todos tem grande importância para que o objetivo final seja alcançado: o pai chegando em casa com o leite.

O pai é um personagem que eu adorei. Meio distraído, não entende direito aonde está e o que está acontecendo. Em cada percalço entre piratas, vampiros e deuses, ele nunca se esquece do quanto o leite é importante para seus filhos, e que ele necessita voltar logo para casa (de preferência com o leite intacto). Outro personagem que se destaca bastante é Esteg, o dinossauro cientista. Ele salva o pai em um determinado momento e a partir disso o acompanha nessa grande jornada, até que ele consiga chegar a sua casa e aos seus filhos, e posso dizer que os dois juntos é diversão na certa. 

O livro é todo ilustrado e o Skottie fez um belo trabalho aqui. Os traços são lindos e combinam perfeitamente com o estilo de escrita de Gaiman. Uma parceria que certamente deu certo. 


Bom, não tenho muito mais para falar sobre o livro, pois ele é bem curtinho e não quero dar spoilers. Eu amei a leitura, e sou até meio suspeita para falar, porque amo Neil Gaiman. Se você quer uma história despretensiosa com uma grande aventura por conta de um leite, vai fundo. Você com certeza vai se surpreender com o que vai encontrar aqui. Espero que deem uma chance ao livro e depois me contem o que acharam. 

Beijos e até a próxima. 

Gabriela, ou simplesmente Gabis. Germiniana, 22 anos, capixaba. Viciada em livros, séries, músicas e maratonas literárias. Apaixonada por azul, roxo e inverno. Formada em Pedagogia e se tudo der certo, futuramente Psicologia. Uma garota um pouco estressada que morre de medo do futuro.

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Achei a história bem inusitada, tendo como ponto de partida o leite, que acaba. rs Um evento corriqueiro e que o Neil Gaiman transformou em uma história que parece ser maravilhosa! Também achei interessante que ele criou a história com o pai indo comprar o leite, pois ele estava encarregado de cuidar dos filhos, e a figura paterna geralmente é aquela que morre de medo de ficar cuidando de tudo e se atrapalha todo ao tentar resolver coisas bem simples. Hehe

    ResponderExcluir
  2. Mais uma obra do Neil Gaiman para por na lista. Vou assumir uma coisa "nunca li Neil Gaiman" comecei agora a ler "Deuses americanos". Mais é um autor super bem recomendado e que com certeza lerei o máximo de obras que eu puder.

    ResponderExcluir
  3. Li apenas dois livros do Gaiman, mas já me considero uma fã em ascensão rsrs... Estava super ansiosa por esse livro, mas ainda não adquiri meu exemplar. Espero que em breve eu possa conferir a história, pois já me encontro apaixonada por ela depois de ler sua resenha.

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo