18/05/2016

Resenha | A Queda dos Reinos

A Queda dos Reinos
  • Autor: Morgan Phodes
  • Editora: Seguinte
  • Páginas: 408
Numa terra em que a magia havia sido esquecida e a paz reinara durante séculos, uma agitação perigosa ganha forma quando três reinos começam a lutar pelo poder. Entre traições, negociações e batalhas, quatro jovens terão seus destinos entrelaçados para sempre: Cleo, a filha mais nova do rei de Auranos; Magnus, o primogênito do rei de Limeros; Jonas, um camponês rebelde de Paelsia; e Lucia, uma garota adotada pela família real de Limeros que busca a verdade sobre seu passado. Em A queda dos reinos, Morgan Rhodes constrói uma mitologia complexa e fascinante, que mistura amor proibido, intrigas políticas e profecias milenares. Narrado pelos pontos de vista dos quatro protagonistas, este é o primeiro volume da série.

Resenha feita pela colaboradora Laiara Dias

Sabe quando você lê um livro que é bom, mas que não está no seu timing? A sensação de que se você tivesse lido há uns anos atrás, aí sim, aproveitaria tudo da história? Então, essa foi a minha sensação ao ler A Queda dos Reinos.



A história se passa em um mundo conhecido como Mytica, que é dividido em três reinos: Limeros, Paelsia e Auranos. Nesse mundo, por enquanto reina a paz, e a magia está adormecida, o que está levando a parte do mundo a um estado de decadência irreversível. Existem lendas que dizem que a magia entrou em declínio quando, há mil anos atrás, a tétrade foi roubada. A tétrade são quatro cristais que guardam todo o poder mágico do mundo, um para cada elemento da natureza. Há aqueles que não se apegam às lendas e à religião, e outros que crêem que existem realmente os tais cristais que dariam poder infinito a quem os possuir.

Limeros é um reino muito austero, com um rei tão rígido que é conhecido como Rei Sanguinário. Auranos é o reino mais rico e opulento, com terras férteis e muitas riquezas. Paelsia é o território mais pobre, onde vivem basicamente camponeses que mal conseguem sobreviver ao inverno rigoroso. A treta toda começa quando um lorde de Auranos assassina o filho de um comerciante de Paelsia. Esse incidente deflagra uma crise política, onde reis e líderes oportunistas usarão o ocorrido como desculpa para deflagrar uma guerra, quando na verdade só estão atrás dos próprios interesses.

No meio disso temos uma princesa bem mimada, uma outra princesa que está sendo claramente usada pelo pai para que ele consiga o que quer, um príncipe apaixonado pela própria irmã, um jovem revoltado com a morte do irmão, além de um outro rei que parece inteligente, mas no fundo é meio banana.

A história é cheia de elementos de fantasia, com muitas intrigas, manipulações, traições, mas ainda assim, é uma história juvenil. Por isso, penso eu, que teria aproveitado mais se a lesse no final da adolescência. O enredo como um todo é muito interessante e te faz querer saber aonde tudo aquilo vai dar, e como primeiro livro de uma série, ele cumpre o papel de te dar vontade de continuar lendo os próximos volumes.

No entanto, achei que o desenvolvimento de alguns personagens foi meio raso, e com o passar da história vemos que tais personagens são chaves no desenvolvimento da trilogia, mas que a personalidade deles foi pouco explorada ao longo da narrativa.

Apesar das ressalvas, é uma série que eu continuaria a leitura, pois foi bem legal, me prendeu ao longo das páginas e soube deixar um gostinho de quero mais. Acredito que o segundo livro da série tem chances de ser melhor em relação aos pontos que me incomodaram no primeiro. Se um dia eu descobrir, prometo contar pra vocês!


Curiosidade: A série inicialmente era uma trilogia, mas hoje tem 5 livros publicados e um 6° está previsto para esse ano.


Sou baiana, criada no Mato Grosso, casada com um mineiro e cai de páraquedas nas terras capixabas. Viciada em Youtube e Netflix, chocólatra assumida, devoradora de chick-lits. Amo um bom romance açucarado e não resisto a um toque de pimenta na literatura, nem a uma colher de farinha no prato. Choro a toa, rio alto, e não consigo decidir entre ser ogra ou princesa! Muito prazer, essa sou eu!

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Oi Aline.
    Já tive essa sensação várias vezes e diversas leituras.
    Achei bem interessante essa premissa, um pouco confuso mas ainda interessante, é ruim quando o autor não sabe ou não desenvolve muito bem os personagens, deixando aquela sensação de que está faltando algo para o leitor.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Gostei bastante da resenha e não sabia que a série tinha tantos livros. Atualmente tenho outras prioridades de leitura, mas não descarto a possibilidade de ler essa série, mesmo sendo juvenil em algum momento.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Nossa, a história toda é cheia de muitas informações e é preciso mesmo estar no clima e ler na hora certa! Apesar de muitas informações, tive a impressão de que faltou um algo mais, achei tudo meio superficial como se a leitura ficasse arrastada. Tenho curiosidade em ler o livro, mas não é algo assim muito forte.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo