28/03/2016

Resenha | Pela Noite Eterna

Pela Noite Eterna
  • Autor: Veronica Rossi
  • Editora: Rocco
  • Páginas: 304
Ambientada 300 anos após uma catástrofe que devastou a Terra, num mundo dominado por um governo autoritário disposto a manter o poder a qualquer preço, a trilogia Never Sky acompanha a saga da jovem Aria, ex-moradora de Quimera, um núcleo de civilização protegido por um domo e sem qualquer contato com o mundo exterior, e Perry, considerado um Forasteiro. Se no primeiro volume da série, Sob o céu do nunca, os destinos dos jovens se cruzam numa improvável (e perigosa) aliança pela sobrevivência, agora, em Pela noite eterna, eles anseiam por um reencontro. Mas muitos obstáculos e algumas armadilhas se impõem no caminho dos dois.

Se você ainda não leu o primeiro volume da série, essa resenha pode conter spoilers para você

Ei gente! Já faz um tempinho que pude ter a oportunidade de ler o primeiro volume da trilogia Never Sky, Sob o céu do nunca. Na época, ele era publicado pelo selo Prumo da Editora Rocco. Depois de um bom tempo do lançamento do primeiro livro, a Editora Rocco trouxe para os leitores o segundo volume escrito por Veronica Rossi: Pela Noite Eterna. Pelo o tempo um pouco distante entre os lançamentos dos volumes, é claro que minha memória pregou peças e me fez esquecer muitos detalhes. Restava saber se a autora conseguiria me reinserir no mundo que ela criou.


Depois dos acontecimentos em Sob o céu do nunca, Ária e Perry se separaram. Ambos estão ansiosos para se reencontrarem. E quando isso ocorre, não é como ambos imaginaram. A tribo dos Marés - agora com Perry como soberano de sangue - não vai aceitar tão fácil a chegada de uma ex-Ocupante. Além disso, Perry parece não ter o controle sobre a tribo como seu irmão mais velho tinha. Unido a isso, as tempestades de Éter só pioram trazendo mais prejuízos do que o imaginável a todos fora de Quimera.

Devo confessar: eu demorei um bom tempo para me reinserir na história. Veronica Rossi não conseguiu - pelo menos comigo - fazer com que eu lembrasse dos acontecimentos importantes do primeiro livro. É claro que ela dá algumas pinceladas em poucos fatos, mas isso não foi o suficiente. Precisei retornar ao livro um e fazer uma leitura dinâmica do meio para o final. Tirando esse fato, a leitura de Pela Noite Eterna foi tão tranquila quando o seu antecessor.

No segundo volume nós temos uma visão mais ampla de como a vida dos Marés funciona - um exemplo das tribos que vivem fora de Quimera. Conhecemos mais a vivência deles, as personagens mais relevantes e como Perry está levando sua função de Soberano de Sangue. Paralelo a isso, o encontro de Ária com Perry é logo no início, mas bem momentâneo. Logo ela acaba enfrentando sua própria missão e nós vamos acompanhando os dois separadamente.

Gostei do ponto de vista dos dois protagonistas, principalmente por eles viverem e estarem em ambientes e momentos diferenciados. A presença maior de alguns personagens relevantes e a novidade de outros que só conhecia por citação me ganharam - principalmente Roar e Liv. A narrativa é feita em terceira pessoa e transita - como disse antes - entre Ária e Perry, assim como no livro anterior.

A respeito da distopia, ela ganha alguns pontos com relação ao início da história, mas ainda sim bem superficial. A distopia criada por Veronica Rossi não é muito complexa ou extensa de entender. O bacana aqui é mesmo a relação interpessoal e como o ser humano se submete a certas coisas. Além do fato de ser prepotente e achar que poucos podem tomar a decisão que custaria vidas de outros que não fazem ideia do que está acontecendo. Isso em ambas partes: tanto na vida mais luxuosa em Quimera, quanto nas tribos/cidades sujeitas as tempestades de Éter.

Apesar de ser uma história curta, acredito que Pela Noite Eterna cumpriu sua proposta. Vimos um lado novo da trama, um novo questionamento e decisões que vão interferir na vida dos protagonistas e de quase todos personagens. Quero muito saber como a autora vai finalizar essa trilogia e como um segredo de um determinado lugar será revelado. Espero que seu lançamento ocorra de forma mais rápida do que entre os dois primeiros volumes.


Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Tenho muita vontade de ler essa trilogia, mas infelizmente ainda não tive oportunidade. E eu nem pude ler a resenha, já que não queria pegar spoiler do primeiro livro :/. Mas acho que devem ser boas leituras, eu gosto muito da premissa dos livros e tenho muita curiosidade em relação a escrita da Veronica. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ler os livros, mas ainda não consegui. Já ouvi muitos comentários positivos em relação a escrita da autora. Pena que não posso ler sua resenha. Gostei bastante da capa, está linda.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Essa foi uma trilogia que me interessou, ainda não li o primeiro livro mas achei a historia interessante e lendo esse livro parece que a autora consegue manter a historia ainda interessante mesmo sendo uma distopia mais simples, mas quero esperar lançarem o ultimo livro de Never Sky, para poder ler tudo de uma vez !!

    ResponderExcluir
  4. Li o primeiro livro há muito tempo então não lembro quase nada além de amar o casal <3 hahaha
    Fiquei muito feliz quando a Rocco anunciou que ia relançar. Como você já disse que a autora não nos relembra acontecimentos do livro anterior vou aproveitar pra relê-lo.

    Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo