20/05/2015

Resenha | Supernova - O Encantador de Flechas

Supernova - O Encantador de Flechas
  • Autor: Renan Carvalho
  • Editora: Novo Conceito
  • Páginas: 440
Imersa em uma ditadura implacável, a isolada cidade de Acigam sofre com a ameaça da guerra civil. De um lado, a Guilda, um grupo que utiliza os ensinamentos da Ciência das Energias para exigir direitos para a população. Do outro, um governo tirano, resguardado por soldados especialistas em aniquilar magos — nome vulgar dado aos praticantes da tal ciência. No meio desse conflito vive Leran, que, após ser tragado para a rebelião, tenta aprender mais sobre sua misteriosa habilidade de encantar objetos com a energia dos elementos.

Resenha feita pelo colaborador Raphael Cordeiro

Supernova – O Encantador de Flechas, é o primeiro livro da “Supernova”, cujo o autor – Renan Carvalho -, já escreveu a continuação, que tem o nome de A Estrela dos Mortos. O livro conta a história de Leran Yandel e sua família, em especial de sua irmã, Luana Yandel. Ambos moradores de Acigam, uma isolada cidade, cercada há 15 anos por muros que impedem que os cidadãos entrem ou saiam dela sem o controle extremo de seu Governo, liderado pelo Rei Evandro Cardorcia. Além do isolamento físico, a cidade é isolada também ideologicamente. Dentro dos muros é ensinada uma ciência que não condiz com a ciência real, ensinada nas cidades fora do domínio de Cardocia.


Logo no início, descobrimos que o jovem Leran tem um poder de concentração muito grande sobre as coisas da natureza. Muitas vezes, tal peculiaridade era confundida com falta de concentração, já que frequentemente ele abandonava os acontecimentos ao seu redor para focar sua atenção em elementos da natureza. Entretanto, com seu avô Bretor, Leran aprende que tal característica se dá pelo fato de ter a habilidade de controlar as energias da natureza, canalizando-as em seu favor. 

Leran acredita que este será o maior contato que ele terá com ciência real, já que o Governo detém o monopólio do ensino, e os ensinamentos de seu avô trazem muitos riscos. Contudo - Leran e seu avô - ao voltarem da loja de um velho comerciante no centro da cidade - se veem no meio de um conflito entre “magos”, nome dados aos cidadãos capazes de controlar as energias, e soldados do Governo Ditatorial. Leran acaba ainda por presenciar o assassinato de um dos magos, por um tipo diferente de soldado chamado de Silenciador, que até aquele momento ele desconhecia. Durante a investida deste soldado, Leran e seu avô são atingidos pelo “silêncio”, efeito produzido pelos soldados diferenciados. É neste ponto que o jovem começa a ter noção real do que se passa a sua volta.

A narrativa do autor é ágil e faz com que os acontecimentos descritos acima ocorram de maneira muito rápida. Logo temos um Leran muito envolvido no conflito da Guilda, que é a reunião dos magos, proporcionando muita ação. O leitor é instigado a virar as páginas de maneira voraz, em busca do próximo conflito.

A obra, que é dividida em quatro partes, traz uma reviravolta marcante na Parte III. Que para mim, é o que faz o livro ser tão bom como é. Durante as duas primeiras partes, o livro é narrado pelo jovem, no tempo presente. Enquanto na terceira parte, temos a inserção da narração de Judra, uma personagem marcante no livro, e de extrema importância. É com ela -  entre o presente e o passado - que podemos entender diversas nuances que nos deixam aflitos durante o livro. A narrativa, que continua com ritmo acelerado traz consigo elementos que elucidam a história momentaneamente.

Mas é claro, que como em toda Saga, o autor nos deixa com um Cliffhanger de arrancar os cabelos, apesar de desvendar a maioria dos mistérios que envolvem Acigam logo no primeiro livro. O autor nos deixa com o primeiro capítulo de Supernova - A Estrela dos Mortos, com Leran e sua irmã. E com isso Renan Carvalho consegue nos deixar admirado com sua escrita simples, contudo extremamente envolvente, que carrega enxurradas de críticas construtivas.

Raphael Cordeiro é Serrano, tem 23 anos. Estudante de Direito pela Multivix Vitória, é Diretor Administrativo do Centro Acadêmico. Gosta de ler e não tem preferência por algum estilo; gosta de seriados de drama e atualmente é colunista do blog O Capítulo do Livro.

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Caramba, sério pela sinopse e a capa eu não daria nadinha por este livro. Mas depois que li a resenha fiquei muito curiosa. Principalmente para saber que ciência é essa que é dada dentro dos muros. Adorei ainda mais saber que o autor de um livro que me parece ser tão bom quanto este é brasileiro.

    Inquietudes Secretas

    ResponderExcluir
  2. Aline!
    Li o livro e acredito que foi um dos melhores que li esse ano, por enquanto...
    Achei bem criativo, bem desenvolvido, com elementos que nos prendem a leitura e nos deixa curiosos para seguir lendo a saga.
    Parabéns para mais um dos nossos autores nacionais, fabuloso!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Sua resenha conseguiu me deixar curiosa sobre o livro. Gosto de fantasias, mas a sinopse de Supernova não chamou minha atenção, agora que sei um pouco mais sobre a história e a narrativa quero ler!
    Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo