06/04/2015

Resenha | Síndrome Psíquica Grave

Síndrome Psíquica Grave
  • Autor: Alicia Thompson
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 336
A Paciente, Leigh Nolan (essa sou eu), começou seu primeiro ano na Universidade de Stiles. Ela decidiu se formar em psicologia (apesar de seus pais preferirem que ela estudasse tarô, não Manchas de Rorschach). A Paciente tem a tendência a analisar demais as coisas, especialmente quando isso envolve o sexo oposto. Exemplo: por que Andrew, seu namorado de mais de um ano, nunca a convida para passar a noite com ele e dar o próximo passo no relacionamento — leia-se transar? E por que ela passou a ter sonhos eróticos com Nathan, o colega de quarto de Andrew que tanto a odeia? Fatos agravantes incluem: outros alunos de psicologia supercompetitivos, uma professora que precisa urgentemente de análise e uma colegial que acha que a Paciente é, em uma palavra, ingênua.

Resenha feita pela colaboradora Pâmela Fardin

Passando pelo facebook, tive a oportunidade de saber pela página da Galera Record que "Síndrome Psíquica Grave", escrito por Alicia Thompson seria publicado no Brasil. O título e a sinopse me chamaram bastante a atenção, principalmente por se tratarem de psicologia, que é o que eu estou cursando na faculdade. Logo, conversei com a Aline e pedi que se fosse possível, que ela pedisse o livro para que eu pudesse ler, resenhar e conhecer a história. 


O livro se enquadra bem em um Young Adult com pitadas de chick-lit, e traz a história de Leigh Nolan, uma garota de 18 anos que está em seu primeiro semestre na Universidade de Stiles, cursando psicologia. Só que em meio disso, ela também está passando por diversos questionamentos, como uma jovem normal prestes a ter um ataque de neurose, claro. Alguns exemplos são como ter a possibilidade de dar um passo a frente em seu relacionamento; analisar constantemente os outros; saber lidar com uma aluna extremamente competitiva chamada Ellen, que nunca sai do seu pé dentro das atividades acadêmicas; entre outros detalhes. Porém seus afazeres dentro da faculdade começam a se acumular, a competição entre os alunos começam a  aumentar (como ainda no primeiro semestre eles continuarem perguntando se ela já escolheu o tema da sua monografia), sem contar com Nathan, o colega de quarto de seu namorado, que parece a incomodar cada vez mais.

Acho que aqui na minha resenha do livro, eu posso dividir minha opinião em duas partes: sobre o romance e sobre a psicologia que é citada no livro. Primeiro sobre o romance, sinceramente, tem tudo o que um young adult/chick-lit precisa para ser leve e ótimo para curar aquela ressaca literária: cenas engraçadas, conflitos amorosos, aquela amiga legal, fazendo com que você devore o livro bem rapidinho, indo direto para o próximo capítulo para saber logo o que acontece.

Porém quanto à parte ligada à psicologia, por um lado bom fiquei bem surpresa em um aspecto: tudo que estava quotado sobre os teóricos e sobre definições  dentro do campo psicológico estavam bem ligados à história, inclusive, no início de cada capítulo temos um conceito da psicologia sendo explicado dentro de um quadrinho. Achei a ideia bem legal (que é devido à autora, que também é psicóloga, claro) e bem colocada na estruturação do livro. Porém agora realmente vem a parte ruim: ligar psicologia e um livro desse tipo podia ter sido uma ideia GENIAL, mas no livro de Alicia Thompson simplesmente não rolou. :( 

Ela podia ter unido o fato de Leigh ser uma caloura, para deixar claro a problemática da ida para a faculdade, aquele desapego do ensino médio, o que ia ajudar muita gente que não passou por isso ainda (e poder escolher psicologia, quem sabe *--*), ou aqueles que como eu passaram por essa escolha difícil, pudessem se identificar e rir junto com Leigh, por exemplo, e não foi isso que aconteceu. O livro é bem focado no romance, em escolhas adolescentes um pouco previsíveis, que em alguns momentos fazem a gente rir, não porque acha engraçado, mas porque não fazem sentido nenhum. Além também do livro trazer uma visão totalmente estereotipada de alguns personagens, que em alguns momentos parecem ser até ofensivos - infelizmente - em se tratando em livro que traga a psicologia como um dos temas, que tem um extremo cuidado em não criar estereótipos. Enfim.

Síndrome Psíquica Grave tinha tudo para ser um livro muito bom, com uma ideia bem legal para o público, mas que ficou centrado somente em um foco, quando podia ter tido um grande leque de opções para se abordar. Porém, quanto a oportunidade de se ter um young adult/chik-lit em mãos, isso não posso negar que vale a pena a leitura. Espero que leiam e tirem suas próprias conclusões. :)



Pâmela, capixaba, 21 anos e Estudante de Psicologia. Bookholic, apaixonada por músicas lindas. Maratonista de seriados de carteirinha, companion perdida do Doctor e seguidora de Sherlock Holmes, Patrick Jane e Cal Lightman. Pensa em um dia conhecer o Reino Unido e é fã de uns caras conspiradores que tocam em uma banda chamada Muse.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Pâmela!
    E eu achando que o livro seria mais focado na psicologia, que é minha área de formação, já tava toda empolgada.
    Ainda assim, como gosto de romances e de chick-lit por que nos faz rir e torna a leitura mais descontraída, gostaria de apreciar a leitura.
    Muito boa sua análise.
    “Passando para desejar a todos uma ótima e abençoada semana,que Deus esteja no controle de nossas vidas guardando e livrando de todos os obstáculos que possam surgir pelo caminho,pois com Deus no controle tudo dará certo.” (Andréia Godoi)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você vai gostar do livro, a pessoa tem que ir preparada para um chick-lit, com certeza KKK Espero que você goste da leitura :)

      Beijos!

      Excluir
  2. Olá Pâmela!
    Interessei-me pelo livro porque queria indicá-lo para minha irmã que pretende estudar Psicologia, MAS depois de ler sua sinopse fiquei com um pé atrás, eu particularmente cansei um pouco de ler YA books hahaha
    A capa do livro é linda!

    Beijos,

    Gabi

    Mundo Platônico

    http://gabiiem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Gabriela!
      Olha, eu indicaria um livro mais "teórico" para ela, sem ser pesado, como "O livro da Psicologia", um de capa vermelha publicado pela Globo. Acho que ele se encaixaria bem naquilo que ela veria na faculdade, pois foi a experiência que tive (ganhei ele logo quando passei na faculdade KKK). A capa é bem fofa, né? :P

      Beijos!

      Excluir
  3. Psicologia em alguma fase da minha infância foi minha escolha de profissão, mas não segui neste rumo. Então, e meio que não me incomodo sobre a psicologia não ser mais bem trabalhada. Gosto mesmo é de chick-lit e só de saber que ele tem uma puxada disso já fico feliz demais.

    Já entrou na minha lista de "Desejados"
    Parabéns pela resenha pâmela querida, e bem vinda ao Memórias (eu não tinha visto você aqui ainda)

    ResponderExcluir
  4. Oi Pâmela!
    Eu nunca pensei em cursar psicologia, mas tenho interesse sobre o tema e isso, além da capa fofa, me deixou com vontade de ler Síndrome Psíquica Grave, é uma pena que a autora tenha focado em um romance mais adolescente... Ainda quero ler, mas vou tentar não criar muitas expectativas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. A Galera Record e suas capas lindíssimas é sacanagem, às vezes é bom se ter um chick-lit em mãos para ter uma relaxada, é uma pena o livro não ter um foco maior na psicologia, por mais que seus detalhes embutidos terem ficado bem interessantes!
    Mesmo com esse ponto negativo, fiquei interessada pelo livro.

    ResponderExcluir
  6. Eu tô louca pra ler esse livro, já que super me identifico com a protagonista. Ainda mais que eu também curso psicologia. Se ela quisesse até a deixaria me analisar kkkk
    E essa capa também é super linda hein?!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo