27/12/2014

Resenha | Endgame - O Chamado

Endgame - O Chamado
  • Autor: James Frey e Nils Johnson-Shelton
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 504
A história começa há doze mil anos, quando seres poderosos desceram do céu entre fumaça e fogo e criaram a humanidade, deixando-nos regras segundo as quais viver. Precisavam de ouro, e, para extraí-lo, instalaram aqui as doze linhagens que deram origem às nossas antigas civilizações. Quando conseguiram o que queriam, foram embora. Mas avisaram que um dia retornariam e que, quando isso acontecesse, seria para o Jogo. O Jogo que determinaria nosso futuro. Os Jogadores terão que achar três chaves, que estão espalhadas pelo planeta. Quem achá-las primeiro ganha. Endgame: O Chamado acompanha a busca dos doze Jogadores pela primeira chave. 


Olás! Cá estou eu para comentar um pouquinho do livro que deu o que falar. Esse é o tão famoso Endgame - O Chamado, em que seus autores James Frey e Nils Johnson-Shelton fizeram a incrível jogada de trazer o leitor para a própria trama. Aquele que descobrir o segredo guardado por dentro das páginas ganhará nada menos do que 500 mil dólares. O livro foi publicação recente da Editora Intrínseca e confesso que me esforcei muito para tentar encontrar esse segredo. Mas é claro que tudo me pareceu tão misterioso que não consegui nem cogitar do que se trata.

Essencialmente o livro se trata de um Jogo que determinará o destino de toda a população mundial, onde 12 jovens de linhagens escolhidas por seres extraterrestres tem a missão de encontrar três chaves que estão espalhadas aos quatro cantos. Todos eles são extremamente treinados desde a infância e podem fazer de tudo para conseguir seu objetivo: fazer aliados, mentir, rastrear ou matar. Inicialmente eu acreditei que o livro era volume único, mas ele conta a jornada apenas da procura da primeira chave - a Chave da Terra.

Iniciei minha leitura completamente isenta de expectativas, até porque eu nem sabia muito bem do que se tratava - evitei sinopses e resenhas. Quando pude ler os primeiros capítulos e compreender um pouco do que se tratava, me lembrou exatamente daqueles jogos de caça ao tesouro. Um dinâmica muito boa e personagens completamente diferentes uns dos outros. 

Gosto muito de ressaltar que os autores tiveram a grande sacada de separar os pontos de vista de vários jogadores em momentos oportunos para o leitor, e isso enriqueceu demais a narrativa. Você conhece - um pouco, porque os mistérios até mesmo na vida dos personagens são extensos - seus defeitos, seus ideais e estratégias. E que, de repente, aquilo pode se colidir com o que você acabou de encontrar no capítulo anterior sobre outro escolhido. Ressalto também que há diversos capítulos de encontros entre os jovens. São os melhores na minha opinião.

Em diversas passagens - principalmente entre os capítulos - surgem enigmas em formato de imagens, números aleatórios, pedaços de textos ou poesia, elementos da tabela periódica, mapas... a cartela de pistas é imensa. E essas, eu acredito, são para o leitor embarcar no mistério secundário oferecido pelos autores para que alguém - quem sabe - ganhe uma graninha no final. Eu sinceramente não entendi metade do que foi me apresentado. Não sei se fui incapaz demais (hahaha) ou se eles fizeram um trabalho muito bem feito. É bom comentar que esses enigmas não interferem na história, pelo menos eu não me senti confusa ou que houvesse pontas soltas.

O livro fecha o ciclo da primeira missão com baixas, alianças e surpresas. Eu realmente gostei da mitologia criada e da apresentação dessa - acredito - trilogia. A escrita é muito dinâmica, cheia de ação e momentos tensos na medida do necessário. Me surpreendi positivamente e confesso que estou com expectativas para o próximo. Além, é claro, de saber o resultado desse mistério que até agora está rondando pela minha cabeça.

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Posso falar... acho que o lance do dimdim para quem descobrir o mistério é "falcatrua" :P
    Como todos os prováveis 3 livros não foram lançados, eles ainda podem mudar o tal enigma. Ou simplesmente finalizar sem solução nenhuma. Pense nisso!! hehehehe. Vc não ficou sem entender por acaso!

    Eu gostei muito da premissa... parece meio que algo profético, como as 7 trombetas do apocalipse que quando tocadas revelam algo sobre o fim dos tempos!!

    Que maluca a ideia de sair em busca de uma chave sem saber o real motivo... pelo menos pelo que li é o que pareceu... livro confuso este... ou melhor: muiiitooo misterioso! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Os mistérios e enigmas aguçam minha vontade de ler a coleção também!
    Gosto muito das escolhas de publicação da Intrínseca, ela deve ser provavelmente minha editora favorita!

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    Tenho até um marca páginas do livro, mas confesso que não tinha ideia dessa caça ao tesouro... Gostei da ideia dos autores, com certeza eles conseguiram vários leitores leitores, eu também fiquei curiosa com toda esse mistério!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Que proposta mais audaciosa dos autores heim!
    Será que alguém vai conseguir?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo