07/10/2013

Resenha | Prodigy

Prodigy
  • Autor: Marie Lu
  • Editora: Prumo
  • Páginas: 304
Os opostos perto do caos. Depois que um cataclismo atingiu o planeta Terra, extinguindo continentes inteiros, os Estados Unidos se dividiram em duas nações em guerra: a República da América, a oeste, e as Colônias, formadas pelo que restou da costa leste da América do Norte. June e Day, a menina prodígio e o criminoso mais procurado da República, já estiveram em lados opostos uma vez. Agora eles têm a oportunidade de lutar lado a lado contra o controle e a tirania da República e, assim, alterar para sempre o rumo da guerra entre as duas nações. Resta saber se estão preparados para pagar o preço que as transformações exigirão deles.

Se você ainda não leu o primeiro volume da série, essa resenha pode conter spoilers para você!

Olás! A resenha de hoje é de uma das continuações lançadas esse ano que eu estava mais curiosa para ler. Prodigy, segundo volume da série Legend, escrito pela Marie Lu e publicado pela Editora Prumo no país. Gostei muito do livro de apresentação para a distopia, que apesar de curto, me conquistou de uma forma que muitas outras distopias maiores não conseguiram.

Depois que June e Day tem seus caminhos entrelaçados em Legend, ambos percebem que querem lutar juntos contra a República. Mas para que isso aconteça, os dois precisaram se unir com as forças rebeldes conhecidas como Patriotas. Muitas de suas atitudes não agradam aos jovens, mas eles passam a ser sua única chance de sobrevivência em meio ao caos contra seus inimigos. 

Prodigy inicia bem próximo do desfecho de Legend. June e Day estão fugindo de LA e indo rumo a Las Vegas, fugindo do centro da República e encontrando os Patriotas no meio do caminho. Pela maneira como ambos estão, eles necessitam aceitar de cara a ajuda deles, alguns até já conhecidos do primeiro volume, como Kaede. E também Tess, a antiga colega de Day que se juntou ao grupo.

Desde as páginas iniciais até o final, acontece bastante ação com os personagens. Não me refiro a lutas ou batalhas, mas sim as mudanças e planos que ocorrem de repente. Fui bombardeada por várias notícias que de certa forma mudariam (e mudaram!) o decorrer da trama. E até por conta de um determinado plano traçado pelos Patriotas no começo da narrativa, os protagonistas se separam e só vão se encontrar pra lá da metade do livro. 

Isso abriu precedente para que o romance caísse bastante em relação ao primeiro volume. Não gostei muito, confesso, porque sou fã das pitadas de romance, não interessando o gênero literário, mas percebi que foi intencional e necessário pela autora. Essa separação fez com que Day e June repensassem em várias ideias e até mesmo em outros possíveis personagens. Mais e mais conflitos.

A ideia central realmente foi a distopia, e obviamente eu adorei isso. Pude conhecer um pouco mais em relação as colônias e também aos outros povos fora daquele meio. O Brasil é até citado pelos personagens, e como o país se encontrava naquele momento. Entendi um pouco mais e o que são realmente os Patriotas. E também que existem intrigas e planos em todos os núcleos possíveis de personagens.

Day continua um personagem carismático e bem construído. June tem suas escorregadas no livro, mas eu continuo gostando muito de sua personalidade. E a propósito, o enredo continua sendo contado intercalando os pontos de vista dos dois.

Assim como Legend, Prodigy é mais um livro curto e direto ao ponto, que passa de forma clara e muito bem escrita o que a autora quis passar e o crescimento da trama. Os conflitos aumentaram, as dúvidas também, e eu aposto que o terceiro volume não deve ser tão menor, já que temos pano para manga. 

Mal posso esperar para que o terceiro volume seja publicado. Uma dica: se você não gosta de spoilers de forma alguma, não leia a sinopse. Lá você encontra um spoiler fortíssimo em relação ao que os protagonistas vão realizar no decorrer da trama. 

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Hummm, como vc disse que a resenha contem spoilers, nem li muito, pois ainda não li esse livro kkkkk e achei super interessante só pela sinopse. Adoro distopicos ^^
    Bjokas
    Isis - minhaestantecolorida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Adoro distopias e essa série parece bem envolvente. Não posso me dedicar a séries por agora, mas sem dúvida quando tiver um tempo quero ler.

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Aline!!
    Não li o primeiro, então dei uma " passadinha de olho" na sua resenha!
    Comprei Legend e se gostar dele vou ler o resto da série!

    ResponderExcluir
  4. Sinopse mal formulada heim!
    Não acompanho essa série, mas parece bem legal!

    ResponderExcluir
  5. Não li o primeiro ainda, mesmo estando com vontade, porque quero esperar a finalização da série pra não morrer de ansiedade ahahaha.
    Adoro distopias e essa parece ser boa, e pelos seus comentários já sei que não aguentaria esperar pelo terceiro livro sem endoidar rs.
    Já tinham me dito que a sinopse desse livro é um crime, graças a Deus não li.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Bem eu sou meio perdida a respeito dessa serie, pois ainda nao li o primeiro mas espero ler essa trilogia em breve e começar a entende-la. Adorei a capa!

    xx

    ResponderExcluir
  7. Amo distopias mesmo lendo poucas então precisso desse livro urgentemente !
    Não li a resenha, o mesmo motivo não goste de spoirles !

    ResponderExcluir
  8. adorei a resenha, ficou muito sugestiva

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo