08/07/2013

Resenha | Will & Will

Will e Will
  • Autor: John Green e David Levithan
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 352
Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em um aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.

 

 
Olá pessoas! A resenha de hoje é mais que especial. Afinal, todo o livro que tem como autor o John Green merece minha atenção. Will e Will, da Galera Record, que além do John Green como autor tem o David Levithan, também bem consagrado.

Em Will e Will somos apresentados a dois rapazes com o mesmo nome: Will Grayson. Apesar dessa semelhança, são duas pessoas bem diferentes. O Will Grayson escrito pelo John Green (que é o primeiro apresentado) é bem simples. Tem alguns amigos, uma vida social não tão movimentada. Mesmo parecendo comum, Will tem algumas peculiaridades. Como por exemplo um amigo fabuloso chamado Tiny. 

E o Will Grayson escrito pelo David Levithan passa por um período difícil na vida. Constantemente em depressão e em uso de remédios regrados, Will não tem muitos amigos e sua parte mais empolgante no dia é quando pode conversar com sua paixão virtual. Até que de repente, a vida dos dois se cruza e nada depois é o mesmo.

Eu não conhecia nenhum trabalho do David Levithan antes desse livro, mas posso dizer uma coisa? Essa parceria deu incrivelmente certo. É mágico como você se sente realmente personagem do livro e passa por tudo o que eles sentem quando os autores são bons. E isso ocorre no livro. 

Os Will's Grayson's são de certa forma opostos, como eu disse, o que dá ainda mais riqueza a leitura. Eles estão vivendo exatamente o que tantos outros jovens vivem agora. Insegurança, dúvida, tristeza e surpresas. É um livro contemporâneo que mostra como é a realidade. É maravilhoso ler um livro assim só para variar dos mundos mágicos e distópicos.

E como eu poderia esquecer? O título do livro é bem marcante. Afinal, ele remete aos protagonistas. Mas para mim, quem realmente é o protagonista da trama é Tiny, melhor amigo do primeiro Will. Com a energia mais que fabulosa, Tiny trás boas gargalhadas e vivacidade a leitura. O objetivo de Tiny no enredo é a realização de um musical na escola que conte sua história. Alias, não só sua história. A história de todos.

Só tenho um ponto negativo a ressaltar. O título. Sinceramente? Acho que a edição brasileira deveria ter permanecido com "Will Grayson, Will Grayson". Acho que não sou só eu que concorda. Fora isso, o trabalho gráfico e a capa estão divinos. A capa parece cinza, mas na verdade é um prata que combina muito com o colorido no título e nas orelhas.

Sim, você deve ler Will e Will. Não só para ser mais um livro na sua meta de leitura. Mas para ser mais uma daquelas histórias que te fazem ter sentimentos maravilhosos. Te fazem pensar e pensar, apesar de ser tão simples e ao mesmo tempo tão complexo tudo aquilo que está sendo escrito e vivido pelos personagens. E como Tiny diz, a leitura será fabulosa.
 

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Quero muito! Falou que tem John Green no meio já estou comprando. Li resenhas falando muito bem do livro e a sua só me incentivou mais. Já está na minha lista da bienal ;)

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ler esse livro, não só porque tem o John Green como um dos autores, mas principalmente pela temática, por trazer um amor homossexual. Acho lindo e muito legal ver um amor gay nos livros, ainda mais em um YA. Sabemos que não é novidade ter relacionamentos gays nos livros, mas em um livro que está/esteve entre os mais vendidos é ainda mais especial, já que a mensagem é importante e consegue ser levada a ainda mais gente.

    Bj, Livro Lab

    ResponderExcluir
  3. Eu fico assim:Porquê ainda não li livro do Jhon então esse livro vai pra minha listinha deve ser um livro bem diferente de outros!

    ResponderExcluir
  4. wow , fiquei encantada Aline !
    E aah tem John Green né *_* Qualquer coisa em que ele poe a mão obivamente fica bom !

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nada do autoe, mas gostei da resenha, sem contar que não consigo ver esse livro sem me lembrar do Tiago kkkkk Will Will Will Will Will Will
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Ai adorei , quero muito ler A culpa é das estrelas que é dele, mas esse parece ser maravilhoso.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li o livro :/ Mas ao ler sua resenha fiquei com vontade de ler um livro só do Tiny :D Personagens alto astral tá meio escasso nas minhas leituras ultimamente.

    Beijos,
    Jhey
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Olá moça!!!
    Concordo com tudo o que você colocou em sua resenha! Eu tb achei esse livro demais e a união entre os dois autores foi realmente incrível.
    Um livro que trata de assuntos sérios, mas de maneira fofa!
    Beijos
    Nica

    ResponderExcluir
  9. Hah, é Green!!!
    Não tinha como esse livro ser ruim!
    Tenho vontade de ler desde que vi uma blogueira receber a prova do livro!
    Tô aceitando de presente cof cof kkkkk

    ResponderExcluir
  10. Não sei mais o que esperar de Green, com certeza esse livro deve ser muito bom, apesar de ter uma temática um pouco diferente... bom esse com certeza vai para a minha listinha de leitura tbm.

    ResponderExcluir
  11. Até um tempinho atrás, não estava nem aí para este livro (rs), mesmo tendo o nome do meu querido John Green na capa!
    Mas acho que mudei de ideia, apesar da premissa não ser tão interessante (no meu ponto de vista), acho fantástico quando a história desperta emoções e sentimentos no leitor, além de proporcionar reflexões. Deve valer a pena!
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Tenho um pé atrás com Grenn desde a culpa é das estrelas, nada contra mas não gosto de livros triste apesar de esta ser diferente no contexto.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo