06/05/2013

Resenha | A Marca de Atena

A Marca de Atena
  • Autor: Rick Riordan
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 480

Annabeth está apavorada. Justo quando ela está prestes a reencontrar Percy - após seis meses afastados por culpa de Hera -, o Acampamento Júpiter parece estar se preparando para o combate. A bordo do Argo II com os amigos Jason, Piper e Leo, ela não pode culpar os semideuses romanos por pensarem que o navio é uma arma de guerra grega: afinal, com um dragão de bronze fumegante como figura de proa, a fantástica criação de Leo não parece mesmo nada amigável. Annabeth só pode torcer para que os romanos vejam seu pretor Jason na embarcação e compreendam que os visitantes do Acampamento Meio-Sangue estão ali em missão de paz. Os problemas de Annabeth não param por aí - ela carrega no bolso um presente da mãe, que veio acompanhado de uma ordem intimidadora: Siga a Marca de Atena. Vingue-me. A guerreira já carrega nas costas o peso da profecia que mandará sete semideuses em busca das Portas da Morte. O que mais Atena poderia querer dela? O maior medo de Annabeth, no entanto, é que Percy tenha mudado. E se ele já estiver habituado demais aos costumes romanos? Será que ainda precisará dos velhos amigos? Como filha da deusa da guerra e da sabedoria, Annabeth sabe que nasceu para liderar; no entanto, também sabe que nunca mais vai querer viver sem o Cabeça de Alga.
 
Se você ainda não leu os primeiros volumes da série, essa resenha pode conter spoilers para você!

Olá pessoas! A resenha de hoje é sobre mais um livro que deixou meu coração na mão. Vou falar um pouquinho sobre A Marca de Atena, terceiro volume da série Os Heróis do Olimpo, escrito pelo malvado Rick Riordan e publicado pela Editora Intrínseca aqui no país. Se você é fã já conhece o estilo do Rick Riordan e eu já posso adiantar: prepare-se para fortes emoções e vontade de bater em um certo autor.

Depois da descoberta nos dois primeiros livros do plano de Hera em unir os semideuses romanos e gregos, além é claro de trocar Jason e Percy Jackson de acampamento (com uma pequena perda de memória), em A Marca de Atena os sete semideuses escolhidos na profecia para lutar juntos contra o ressurgimento de Gaia, finalmente se encontram e abordo do navio de Leo (com a ajuda de Festus!) eles partem em busca de uma nova aventura. Dessa vez, quem é colocada em xeque é Annabeth que recebe uma missão de sua mãe Atena, para seguir sua marca em busca de algo perdido e fundamental.

Além da missão de Annabeth, é claro que os outros semideuses também teriam muito trabalho. Rumo à Roma, eles precisam deter certos gigantes e salvar um antigo amigo que está em apuros. Tudo sempre em cenários muito reais e que dá vontade de estar presente.

Acho que dos três livros da série, A Marca de Atena é o mais agitado de todos. A todo o momento, os personagens estão em constante ação. É de perder o fôlego durante a leitura. Parece que você também está presente ali e está lutando tanto quanto eles. Essa é a sensação que o autor passa no decorrer de toda a narrativa.

E falando em narrativa, nesse volume a temos dividida entre quatro personagens: Annabeth, Percy, Leo e Piper. Dá para entender o porquê deles serem focos nessa nova parte da série, já que sua importância é grande no decorrer das missões. Os outros também tem seu papel, mas de certa forma um pouco menos visível.

Muita gente compara e diz que essa nova série do Rick Riordan é extremamente parecida com Percy Jackson e os olimpianos. Mas é claro! Tudo gira em torno de profecias, missões e semideuses tendo que salvar o mundo, de certa forma. Apesar disso, essa série tem seu toque especial. Eu particularmente gosto mais dela até do que a primeira. Creio que muitos cobram pelo formato parecido, porém não me preocupo muito com isso.

Esse foi o volume que fiquei mais chocada para onde tudo estava se encaminhando. Eu já suspeitava do que o Rick Riordan ia aprontar, mas ao mesmo tempo eu torcia para não acontecer. Você, que é fã de verdade, vai se surpreender com o que ele aprontou. Deixará seu coração na mão muitas vezes. Inicialmente, eu pensei que esse seria o último volume da série, mas é claro que não. Temos que sofrer mais um pouquinho.

O final já é de deixar as emoções nas alturas, esperar o próximo volume então nem se fala. Bem, tudo o que resta infelizmente é esperar. Confesso que é até confortável esperar um pouquinho, porque nesse meio tempo posso recuperar as energias antes de me aventurar em mais um livro do autor.

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. HAAA *_*
    Pireei ALINE !!! AUSHDUASDHAUHSD
    Fiquei tipo 'MELDELS Ç.Ç' no final do 2º volume e voce vem e me diz isso ???
    DD:' Antes de ler já estou pirando UASHDUAHSD kkkEu também gostei dessa série , e acho nada ver a história ter o mesmo formato até por que adoro essa mitologia...

    ResponderExcluir
  2. Fica dificil comentar nesta resenha pois não li nenhum dos livros e como não gosto muito de mitologia eu não va ler.
    Mas percebi que este deve ter sido muito bom, pois vc ficou chocada pelos caminhos que o autor leva a historia, isso deve ser bom.
    Gosto de livros que dividem a narrativa entre personagens diferentes, pois isso da maior agilidade,
    beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ah eu quero esse livro, só que eu não tenho nem o primeiro da série sou fã do Rick Riordan só que eu só li os dois primeiros livros da série Percy Jackson e amo muito não vejo a hora de ler a continuação e também poder ler a série de Heróis do Olímpio.

    ResponderExcluir
  4. muito bom, resenha incrivel, um livro surpreendente

    ResponderExcluir
  5. Não li nenhum dos livros pois tenho certo receio em livros de mitologia.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo