09/07/2012

Resenha de "Caminhos de Sangue"

Caminhos de Sangue
  • Autor: Moira Young
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 352
Saba passou a vida inteira na Lagoa da Prata, uma imensidão de terra desértica assolada por constantes tempestades de areia. O lugar não a incomoda, contanto que o irmão gêmeo, Lugh, esteja por perto. Quando, porém, uma gigantesca tempestade chega trazendo quatro cavaleiros de mantos negros em seu rastro, a vida que Saba conhece chega ao fim: Lugh é raptado e ela tem que embarcar em uma perigosa jornada para resgatá-lo. Repentinamente jogada na realidade selvagem e sem lei do mundo além da Lagoa da Prata, Saba não consegue pensar no que fazer sem Lugh para guiá-la. Por isso, talvez a maior surpresa seja o que descobre sobre si mesma: é uma lutadora incansável, uma sobrevivente feroz e uma oponente perspicaz. Com a ajuda de um audacioso e atraente fugitivo e de uma gangue de garotas revolucionárias, Saba se torna a protagonista de um confronto que vai mudar o destino de sua civilização. Com ritmo arrasador, ação constante e uma história de amor épica, Caminhos de sangue é uma aventura grandiosa ambientada em um mundo futurista e violento. 
Hello pessoas! Nessa segunda-feira a resenha da vez é do livro Caminhos de Sangue, uma trilogia distópica, lançada pela Editora Intrínseca aqui no Brasil. Esse é o primero romance escrito pela autora. A narrativa conta a história de uma família, protagonizada principalmente por Saba, filha mais velha e gêmea de Lugh, que moram com seu pai e sua
irmã mais nova, Emmi. Saba sai em uma jornada da onde mora em busca de seu irmão Lugh que foi seuqestrado por uma legião de cavaleiros negros. E assim o livro transcorre.

Essa é a principal premissa e ideia do livro, mas é importante ressaltar que não é a única estratégia que a autora trás ao leitor. Tem muitas surpresas ao longo da narrativa. O cenário do local de moradia de Saba e sua família, além de um longo território nas proximidades me lembrou muito o sertão brasileiro. Falta de água, sem animais por perto, moradias precárias e condições de vida muito abaixo da aceitável. E essa realidade que me fez gostar do estilo 
peculiar que a autora trouxe a narrativa.

Digo isso porque todos irão perceber pequenos erros gramaticais "propositais" da autora para a construção da história. Pareceu ao meu ver que ela está construindo o amadurecimento dos personagens e, também da sua fala, de acordo com as ações que ocorrem com eles. E para dar mais realidade também, como já disse. Apesar de não gostar muito de gírias e/ou cortes assim, gostei muito do trabalho da autora e acho que foi muito válido no contexto.

A respeito da construção dos personagens. Não temos só a família de Saba em foco, mas muitos outros importantíssimos que você vai descobrindo. Temos o grupo de garotas valentes e um certo rapaz, o Jack que faz parte na maioria da história junto com Saba. Mas isso são detalhes que valem a pena serem descobertos com a leitura como supresa. Então, não vou ressaltá-los. Só que também gostei muito da personalidade de todos eles.

Não tenho pontos negativos. A história é envolvente, o contexto é de certa forma novo, e o tipo de distopia retratada, sendo uma monarquia, ainda não tinha sido lido por mim. A diagramação da editora está super bacana com capítulos bem divididos, apesar de não seguirem um padrão. Vale a pena conferir e dar chance a trilogia Dustlands.

Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Mais uma distopia né, já estou até me sentindo no fim mundo, rsrsrs.
    As resenhas que eu tenho lido sobre esse livro tem sido bem positivas, todos falam como a história é envolvente e bem escrita, uma espécie de ficção científica distópica que se passa em um mundo pós-apocaliptico. Sem falar que capa é muito bela.
    Abraços.

    http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. É a primeira resenha que leio sobre o livro. A positividade apresentada faz com que tenha mais interesse em ler. A capa também é linda e cativante.

    ResponderExcluir
  3. Eii Aline, eu vi esse livro chegou ontem na livraria, linda capa e já tinha me interessado a históriae com sua resenha completou!!! Adoreii e to te esperando lá hein, qd vc vai passar lá?? bjss

    ResponderExcluir
  4. Oi, Aline.

    Vi esse livro em outros blogs e ele me lembrou Jogos Vorazes em vários detalhes rs Eu não sei se eu ia gostar de ler com esses erros, mesmo propositais, de português. Sou chato rs

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. ainda nao conhecia o livro, parece ser interessante, embora eu não goste muito de distopias.. ^^' mesmo assim parece ser bem criativo!

    --
    hangover at 16

    ResponderExcluir
  6. Não conheço o livro nem a autora. Mas gostei de alguns pontos: primeiro a capa, é linda. Depois de ser uma trilogia, sim saber que são só 3 livros me agradou muito e terceiro não ser de seres sobrenaturais.
    Depois que saírem os outros dois, vou ler.
    um abraço
    Gisela - Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  7. Adoraria ler este livro, principalmente por causa da escrita!

    http://achadosandcomprados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Adoro distopias e acho que vou gostar desse livro. Confesso que não sou muito fã das gírias (alguns livros, como Clã dos Magos por exemplo me davam bastante raiva por isso), mas mesmo assim vou tentar ler, pois a história parece ótima.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  9. sou fascinada por distopias , viajo num mundo incrivel sem sair de casa! bom de mais , adorei a resenha parabens

    ResponderExcluir
  10. Poxa essa capa é linda.Eu ando gostando cada vez mas de distopias, querendo super ler esse livro.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. ô livro complicado de ler. Foi um sufoco! Tanta coisa escrita errada que eu empacava sem entender, sem conseguir ler rápido e dar sentido.É um ótimo livro, mas esse povo falando errado é uma droga de ler ¬¬

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo