31/08/2011

Resenha de "Quando cai o raio"

Quando cai o raio
  • Autora: Meg Cabot
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 270
  • Classificação: 5 estrelinhas
Mandaram que eu escrevesse um relato, em primeira pessoa, sobre o que aconteceu comigo, falando toda a verdade e nada mais do que a verdade. Então tá. O que aconteceu comigo: fui atingida por um raio. Tudo culpa da Ruth, que resolveu que queria voltar da escola andando, para queimar uns quilinhos... Acabou que eu é quem fui queimada. Ninguém acreditou em mim, nem eu mesma, pra ser sincera. Eu não estava me sentindo mal, não tinha nenhuma marca ou machucado... Nem estava chamuscada! Mas logo as coisas começaram a mudar. Quando acordei no dia seguinte, de alguma forma sabia onde estavam as duas crianças cujas fotos estampavam a caixa de leite, aquelas do Disque-Desaparecidos, sabe? Pois é. Eu tinha certeza absoluta sobre onde elas estavam. O problema é que eu achava que estava fazendo uma coisa boa! Liguei para o Disque-Desaparecidos e avisei à simpática senhorinha onde estavam essas duas crianças, e depois mais outras... Até que dois não-tão-simpáticos agentes federais apareceram na minha escola para conversar comigo. Até parece! Agora sou foragida da justiça, tenho que ajudar um dos meninos que foram encontrados e ainda preciso disfarçar o quanto o motoqueiro da sala de detenção mexe comigo... Ainda bem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar... Certo?

Leia mais...

Todos vocês estão cansados de saber meu vício pelos livros da Meg Cabot. Sou fã de todos os trabalhos dela e não poderia ser diferente em Quando caio o raio. Esse livro é maravilhoso. Para vocês terem uma pequena ideia, li tudo em um dia. Tudo bem, não é um livro grosso, mas vocês entenderam. A narrativa, a história e os personagens... tudo é tão bom que eu praticamente engoli o livro com tamanha curiosidade que eu ficava em cada capítulo.

Jessica é mais uma heroína comum que, de repente, se transforma - ou melhor - recebe um dom da natureza (acho que posso dizer assim) quando um raio cai cai sobre sua cabeça. Aparentemente, nada acontece a jovem, mas depois desse dia, todas as vezes que acorda Jessica lembra de alguns sonhos estranhos. E, nesses sonhos, Jessica tem o poder de encontrar crianças desaparecidas. 

Não vimos em filmes americanos quando compra-se leite e na caixa vem a foto de uma criança desaparecida? São exatamente essas crianças que Jessica passa a encontrar por meio de seus sonhos. Quando ela percebe isso, liga para o disque-desaparecidos no único intuito de ajudar. E alguém poderia imaginar que por meio dessas ligações simples ela iria embarcar em uma vida nova. E ela não seria necessariamente boa.

O que eu posso dizer é que a cada livro que passa a Meg consegue me surpreender. Eu juro que não consigo entender da onde sai tantas ideias boas. Tudo parece seguir uma narrativa parecida, mas de repente, uma reviravolta acontece e temos um novo trabalho. Quando cai o raio mostra problemas sérios em certos aspectos, mas com muita sutileza.

Jessica possui sim seus dramas adolescentes. Eles não são tão óbvios e importantes quando outros assuntos, mas estão ali. E isso é o que bacana. A Meg dá atenção a outros pontos, como a ousadia de certas partes do governo americano ou a doença de seu irmão mais velho. E, é claro que não poderia faltar o romance. Está tudo lá. E fica incrível quando todas essas fórmulas ficam unidas.

Esse é o primeiro volume de uma série que sei vai fazer parte da minha lista de favoritos da Meg. Eu recomendo a todos os fãs da autora, e porque não, para aqueles que também não conhecem seu trabalho.

Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Mais livros da Meg! kkk

    Ela deve ser uma fábrica, só pode! Nunca li nada dela, afinal. Esse livro parece bem interessante.

    ResponderExcluir
  2. Que legal, ainda não tinha lido sobre esse livro, só vi que tinha lançado um tempo atrás haha

    ResponderExcluir
  3. Adoro os livros da Meg e quero ler esse! Tentei ganahr em promoção mas não consegui awehofiaheoi
    Gostei do fato de o foco não ser os problemas adolescentes da protagonista. Acredito que estes desaparecimentos são muito mais importantes e é legal ver que realmente foi dada a importância necessária.
    beijo!

    ResponderExcluir
  4. Amei!!! *O* Preciso arrumar um tempo pra ler logo!!! Me deixou muito curiosa com a resenha Aline!!!

    Bjokas!!!

    ResponderExcluir
  5. amei sua resenha! postei uma desse livro em meu blog há poucos dias; também amo tudo que é da meg kk
    Adorei o blog; seguindo ^^

    Cabelos ao Vento
    http://blogcabelosaovento.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Amei esse livro! Li ele em um dia! Os livros da Meg Cabot são realmente muito bons

    ResponderExcluir
  7. Own *-* eu também sou viciada em Meg Cabot, adoro o jeito como ela escreve, é tão bom de ler, e esse livro não estaria de fora néh, não tenho ele ainda mas pretendo muito lê-lo!! Sua resenha ficou ótima! \o/

    ResponderExcluir
  8. Stephania Ferreira16 de maio de 2012 04:41

    como tudo q eh da Meg, acredito que este livro eh incrivel..

    adorei o que escreveu..



    bjs

    ResponderExcluir
  9. Adoro a Meg Cabot. Amo o jeito que ela escreve, ao mesmo tempo divertido e estimulante. as histórias dela são fantásticas e essa série e A Mediadora são as minhas favoritas.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  10. Que interessante, essa historia parece ser maravilhosa eu ainda não li nenhum livro dessa autora tenho os dois primeiros livros da mediadora em casa, mas ainda não tive tempo de lê-los, mas por incrível que pareça to começando a gostar da autora sem ter lido os livros dela.

    ResponderExcluir
  11. essa historia parece ser muito bom , é interessante demais , uma tematica boa, interessante

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo