02/05/2017

Resenha | Deuses Americanos

Deuses Americanos
  • Autor: Neil Gaiman
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 576
Deuses americanos é, acima de tudo, um livro estranho. E foi essa estranheza que tornou o romance de Neil Gaiman, publicado pela primeira vez em 2001, um clássico imediato. Nesta nova edição, preferida do autor, o leitor encontrará capítulos revistos e ampliados, artigos, uma entrevista com Gaiman e um inspirado texto de introdução. A saga de Deuses americanos é contada ao longo da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado e cujo único objetivo é voltar para casa e para a esposa, Laura. Os planos de Shadow se transformam em poeira quando ele descobre que Laura morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele conhece Wednesday, um homem de olhar enigmático que está sempre com um sorriso no rosto, embora pareça nunca achar graça de nada. Depois de apostas, brigas e um pouco de hidromel, Shadow aceita trabalhar para Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos, um país tão estranho para Shadow quanto para Gaiman. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses — os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) —, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido. O que Gaiman constrói em Deuses americanos é um amálgama de múltiplas referências, uma mistura de road trip, fantasia e mistério — um exemplo máximo da versatilidade e da prosa lúdica e ao mesmo tempo cortante de Neil Gaiman, que, ao falar sobre deuses, fala sobre todos nós.

17/04/2017

Resenha | O Feiticeiro de Terramar

O Feiticeiro de Terramar
  • Autor: Ursula K. Le Guin
  • Editora: Arqueiro
  • Páginas: 176
Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda. Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários. 

18/03/2017

Playlist do Mês | Janeiro/Fevereiro


Ei gente! Dentro da programação diferenciada do blog, resolvi compartilhar com vocês um pouquinho do que eu venho escutado de novo - ou não - nos últimos meses. Esse vai ser um post que vai aparecer aqui de dois em dois meses com uma playlist que irei criar na minha conta do spotify - quem quiser me seguir e dar uma olhada nas outras playlist, passa lá 😊. 

Nos primeiros meses do ano, eu ouvi bastante coisa nova. As trilhas sonoras de filmes reinaram - La La Land e Moana que o digam - e, é claro, o CD novo do Ed Sheeran amorzinho. Descobri uma banda indie maravilhosa, The Scenery e não parei de ouvir Lemonade, da Queen B (que infelizmente não consegui colocar na playlist, porque não está disponível no spotify). Tem coisa velha também que eu não desgrudo nem por reza - Arctic Monkeys que o digam. Espero que vocês curtam!


E aí gostaram? Alguma que vocês não conheciam?. Qual foram as músicas que mais tocaram na playlist de vocês nessas últimas semanas? Deixem nos comentários que eu adoro ouvir coisa nova! 😊


13/03/2017

Resenha | E Viveram Felizes Para Sempre

E Viveram Felizes Para Sempre
  • Autor: Julia Quinn
  • Editora: Arqueiro
  • Páginas: 256


Alguns finais são apenas o começo. Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos. Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza. Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes? A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton. Veja como tudo começou e descubra o que veio depois do fim desta série que encantou leitores no mundo inteiro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo