23/08/16

Resenha | Pó de Lua - Nas Noites em Claro

Pó de Lua - Nas Noites em Claro 
  • Autor: Clarice Freire
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 208


Quando a noite fica mais escura e as ruas se calam, a maior parte das pessoas dorme e sonha. Algumas, porém, preferem o silêncio para sonhar acordadas. Clarice Freire, autora do best-seller Pó de lua, faz parte desse grupo. É nessa hora que costuma criar suas poesias e seus desenhos. Em seu segundo livro, Pó de lua nas noites em claro, ela vira a madrugada ao avesso em palavras e imagens, dedicando uma hora a cada capítulo, da meia-noite ao amanhecer. Além dos versos que conquistam o público desde 2013, quando foi criada a página Pó de lua no Facebook, Clarice alterna passagens em prosa e poesia, acompanhando sua personagem durante um longo e mágico passeio pela cidade quase deserta. Com um humor delicado e muita sensibilidade, a autora desvenda a angústia e a alegria daqueles que preferem a noite ao dia. Sua personagem insone se rende ao desejo de sair da cama e andar pelas ruas em busca de si mesma. Descobre que não está sozinha. Os sentimentos e as lembranças ganham vida, e ela esbarra em personagens como um homem que vaga por viadutos, um vigia noturno e até um misterioso carteiro que lhe entrega correspondências às três da manhã. Com lápis de cor e tinta nanquim, Clarice ilumina a escuridão e continua fiel à missão de Pó de lua: diminuir a gravidade das coisas.

18/08/16

Precisamos conversar sobre | Stranger Things


A poeira - aparentemente - abaixou um pouco no que diz respeito a mais nova aposta e - grande sucesso - da Netflix: Stranger Things. Logo quando o seriado foi liberado pela empresa, fiquei com o pé atrás. Na verdade, eu desconfio de tudo que tem um hipe muito grande em cima. Minhas expectativas começam a crescer e não é raro eu me decepcionar. Feio. Logo no primeiro final de semana após a liberação dos episódios, muita gente ao meu redor tinha visto. E elogiado ao máximo. Então, confiando na opinião dessas pessoas - uma vez que ela possuem um gosto muito parecido com o meu para seriados - resolvi embarcar e conhecer o que tanto esse seriado mostrava. E fui mais uma das fisgadas completamente. Mais uma daquelas que faz todo mundo ao redor assistir o seriado, porque é maravilhoso.

Acho que a maioria de vocês já deve saber do que se trata o seriado. Ele se passa nos anos 80 e conta a história de quatro amigos unidos pela paixão de RPG, quadrinhos, Star Wars e tudo o que a época oferecia ao público nerd. Até que um dos amigos - Will - some misteriosamente. E os outros três resolvem procurá-lo - além das autoridades locais, é claro. Paralelo a isso, temos a inserção de um projeto secreto do governo - que está diretamente ligado ao desaparecimento do menino - o que leva a aparição de Eleven, uma garota misteriosa com poderes estranhos. 

Já pode imaginar. Todos os clichês estão reunidos ali. Mas a grande sacada de Stranger Things não é isso, obviamente. E sim em como seu elenco é responsável pelo grande sucesso. Todos, desde o elenco adulto até o infantil fazem com que o seriado seja tudo isso e mais um pouco. Preciso chamar atenção para as crianças aqui: o trabalho delas é impecável, especialmente da atriz que faz Eleven e do ator que faz o Dustin. Viraram meus amorzinhos eternos!


Nem preciso ressaltar a nostalgia e as referências em peso aos anos 80 que Stranger Things faz. Temos filmes do Spielberg, histórias do King, universos fantásticos como o de Star Wars e de DeD e até mesmo bandas do cenário da época. Mesmo eu sendo nascida no início dos anos 90, me senti tão presenteada com o que assisti, que foi fantástico. Até porque muito de tudo isso foi apresentado na minha infância, principalmente pelo meu pai. Para quem tem curiosidade, existem diversos sites que já fizeram o compilado de referências que encontramos no seriado.


Definitivamente, Stranger Things entrou para meu Top 10 de seriados da vida. Virei fã, maratonei tudo no mesmo dia e agora estou órfã. Está sendo difícil pegar qualquer seriado agora para assistir ou botar em dia - e olha que tenho muitos - porque depois que assisti ST nada me pareceu bom o suficiente. Exagero? Pode ser, mas não consegui escapar disso. Agora, a Netflix nos disse que só em 2017 teremos mais a respeito de Hawkins, Indiana. Minhas perguntas continuam fervilhando na cabeça. E eu só queria que tivessem mais alguns episódios. 

Se me deixarem, postarei gifs para sempre. Me. Segurem.

15/08/16

Resenha | Ônix

Ônix
  • Autor: Jennifer L. Armentrout
  • Editora: Valentina
  • Páginas: 416

Estar conectada a ele é uma droga! Graças ao seu abracadabra alienígena, Daemon está determinado a provar que o que sente por mim é mais do que um efeito colateral da nossa bizarra conexão. Em vista disso, fui obrigada a dar um “chega pra lá” nele, ainda que ultimamente nossa relação esteja... esquentando. Algo pior do que os Arum ronda a cidade. O Departamento de Defesa está aqui. Se eles descobrirem o que o Daemon pode fazer e que nós estamos conectados, vou me ferrar. Ele também. Além disso, tem um garoto novo na escola que, tal como a gente, guarda um segredo. Ele sabe o que aconteceu comigo e pode ajudar, mas, para fazer isso, preciso mentir para o Daemon e ficar longe dele. Como se isso fosse possível! Até que, de repente, tudo muda. Vi alguém que não deveria estar vivo. E tenho que contar ao Daemon, mesmo sabendo que ele não vai parar de investigar até descobrir toda a verdade. Ninguém é o que parece ser. E nem todo mundo irá sobreviver às mentiras.

11/08/16

Book Playlist #24 | Rainha das Sombras


Hey gente! Como vocês bem sabem, quando a leitura de um livro me marca muito, eu penso em toda uma playlist para ele. E ela fica tocando na minha mente repetidamente. Quando se trata de uma série que eu gosto então... já viu. Já fiz duas playlists da série Trono de Vidro, e agora que estou lendo o quarto volume, não poderia não deixar de fazer mais uma. É inconsciente. Quando vejo, já montei a playlist. Trago a vocês então, essa que está embalando minha leitura do Rainha das Sombras - quase 700 páginas de uma história maravilhosa.



08/08/16

Resenha | A Vida Sexual das Gêmeas Siamesas

A Vida Sexual das Gêmeas Siamesas
  • Autor: Irvine Welsh
  • Editora: Rocco
  • Páginas: 416
Tudo começa quando, em Miami, a personal trainer Lucy Brennan (“Sem desculpas, só resultados dizem as letras em alto-relevo de seu cartão profissional) interfere em uma tentativa de assassinato e, com socos e voadoras, imobiliza um homem armado. Foi um ato heroico, impressionante, cinematográfico e apropriadamente registrado pela câmera de um celular. Ela amanhece como uma das grandes sensações midiáticas do momento, atrás apenas das gêmeas siamesas de 15 anos do Arkansas que dividiram a nação com seu dilema moral: o que fazer quando uma quer sair para namorar e a outra prefere ficar em casa? Enfim, não importa, há espaço para todos. Lucy logo recebe uma proposta para estrelar um reality show no VH1, procura uma empresária e ganha uma fã número um: Lena Sorensen - única testemunha ocular de sua obra-prima e autora do vídeo que a levou ao estrelato - que acaba se tornando sua cliente. De um lado, uma atleta vigorosa, decidida, no auge da forma física; de outro, uma artista retraída, vulnerável e acima do peso. Os opostos se atraem, mas o que acontece depois? Se complementam? Ou se destroem? Capitaneada pelas duas personagens femininas mais fortes de toda a obra do autor, cujos pontos de vista se alternam durante a narrativa, o romance é uma hilária descida ao inferno da malhação, com direito a barrigas saradas, suor, sangue, cárcere privado, sexo e sadomasoquismo - provando que Welsh é capaz de ser Welsh mesmo quando sai de sua zona de conforto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo