28/06/16

Resenha | A História de Nós Dois

A História de Nós Dois 
  • Autor: Dani Atkins
  • Editora: Editora
  • Páginas: 352
Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada. Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse. Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara a ponto de duvidar se deve se casar afinal. Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou. Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?

24/06/16

Terminei Grey's Anatomy | Valeu ou não a pena?


Eu praticamente nunca faço maratonas de seriados. Tirando as sitcoms e Castle, eu nunca tinha pegado uma série que já estava consolidada na televisão para começar a assistir. Muito por conta da preguiça mesmo e da falta de tempo. Eu não iniciava séries que estavam na 4º temporada. Por que eu iria começar a ver uma que estava no início da 12º? Era maluquice, só podia ser. Até o dia em que uma amiga minha - obrigada Mariana, te odeio hahaha - insistiu tanto, que eu tinha que ver o episódio piloto. E foi assim que eu virei mais uma das milhares de fãs que Shondanás conquistou pelo mundo com Grey's.

Acreditem, seis meses para maratonar uma série para mim é muito rápido. Ainda mais uma série com 12º temporadas completas. Por isso: não me convide para maratonar uma série com você. Eu não vou conseguir te acompanhar e você vai ficar frustrado hahahaha Enquanto o pessoal estava lá na frente, eu estava nos baby steps ainda, conhecendo Meredith Grey e o universo do Seattle Grace. E - por incrível que pareça - eu não sabia NENHUM spoiler da série. NENHUM. O único que peguei bem antes de começar foi a saída da Yang - uma tristeza! - que deu um bafafa na época. Fora isso, não sabia de nada. Até começar a assistir. OBRIGADA MUNDO.


Grey's Anatomy não foi só mais uma série na minha grade. Ela meio que completou todas as outras. Parece muito um novelão, cheio de dramas e reviravoltas. E eu não tinha isso na minha grade ainda. Ela foi meio prejudicial para as minhas outras séries também: acabei deixando muitas de lado só para acompanhar greys. E até hoje não as coloquei em dia. E estou muito desanimada para colocá-las - principalmente as baseadas em quadrinhos. Grey's foi completando o buraco das outras: quando eu tinha um tempinho eu corria para assistir. Baixei todas as temporadas de vez e fui vendo sem pressa - às vezes com pressa, dependendo do episódio.

O seriado não é só sobre medicina e a carreira médica de internos, passando pela sua residência até a sua especialização. Um mundo ocorre dentro do Seattle Grace/Grey + Sloan Memorial. Me conectei com vários personagens. Sofri MUITO com todos eles. Fiquei com vontade de matar a Shonda e finalmente compreendi seu apelido carinhoso pelos fãs brasileiros. É um ciclo de emoções que não param. E paralelo a isso, temos os casos médicos mais difíceis, bacanas e motivadores - para eles e para os telespectadores.


Não se deixe enganar: Meredith dá nome ao seriado, mas ela é um ponto entre tantos outros - até melhores, pela minha opinião. Tenho personagens favoritos que foram embora da série até hoje - Mark, Yang, Lexie. E ainda continuo firme com outros maravilhosos que continuam ou que apareceram mais recentemente - Alex, Bailey, Maggie, Callie e Amelia. Não dá para explicar o que Grey's Anatomy faz com você. É necessário assistir para compreender.

Vale ou não vale a pena? Com certeza vale. Veria tudo de novo e me arrependo muito de não ter começado a acompanhar a série antes. Queria ter sofrido junto com todos na época que cada tragédia aconteceu - é, sou muito estranha mesmo. Eu tinha que compartilhar meu sofrimento comigo mesma. Ou com as pessoas que já tinham vivido aquilo. Eu nunca me imaginei fazendo isso para nenhuma série e acho muito difícil eu repetir essa experiência. Mas eu não posso dizer nunca. Vai que aparece algo de surpreendente que eu ainda não conhecia. Vida longa a Grey's Anatomy! E eu quero mais 8 temporadas. hahahahaha



(imagens retiradas do we heart it, com exceção da primeira)

22/06/16

Resenha | Dama da Meia-Noite

Dama da Meia-Noite
  • Autor: Cassandra Clare
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 574
Em um mundo secreto onde guerreiros meio-anjo juraram lutar contra demônios, parabatai é uma palavra sagrada. O parabatai é o seu parceiro na batalha. O parabatai é seu melhor amigo. Parabatai pode ser tudo para o outro mas eles nunca podem se apaixonar. Emma Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma em uma longa linhagem de Caçadores de Sombras encarregados de protegerem o mundo de demônios. Com seu parabatai Julian Blackthorn, ela patrulha as ruas de uma Los Angeles escondida onde os vampiros fazem festa na Sunset Strip, e fadas estão à beira de uma guerra aberta com os Caçadores de Sombras. Quando corpos de seres humanos e fadas começam a aparecer mortos da mesma forma que os pais de Emma foram assassinados anos atrás, uma aliança é formada. Esta é a chance de Emma de vingança e a possibilidade de Julian ter de volta seu meio-irmão fada, Mark, que foi sequestrado há cinco anos. Tudo que Emma, Mark e Julian tem a fazer é resolver os assassinatos dentro de duas semanas antes que o assassino coloque eles na mira. Suas buscas levam Emma de cavernas no mar cheias de magia para uma loteria sombria onde a morte é dispensada. Enquanto ela vai descobrindo seu passado, ela começa a confrontar os segredos do presente: O que Julian vem escondendo dela todos esses anos? Por que a Lei Shadowhunter proíbe parabatais de se apaixonarem? Quem realmente matou seus pais e ela pode suportar saber a verdade?

17/06/16

Artigo | Quando o desanimo e a falta de criatividade batem a porta


Desde o meio do ano passado até o meio desse ano minha vida fez duas curvas: uma mudança na minha vida profissional e um declínio para o desanimo e a falta de criatividade em outros locais da minha vida que antes eu realmente me sentia feliz, empolgada e cheia de novas ideias. Mas isso acontece com todo mundo, não é mesmo? Até com as personagens fictícias. Todos passam por um momento crítico na vida em algum dos lados. No meu caso, foi minha criatividade e motivação.

Gosto muito de várias atividades. Tenho blog, faço parte de um clube do livro, adoro assistir seriados e conhecer coisas novas - mesmo sendo bem metódica e rotineira (confuso, não?). O que aconteceu nesse período que disse anteriormente foi: meu tempo aumentou para dar conta de mais coisas, mas meu desanimo não me deu asas para melhorá-lo ainda mais. Na época da faculdade, eu mal tinha tempo de estudar/atender/dormir/comer. E dava conta tranquilamente de tudo. Hoje, tenho um tempo de folga maior trabalhando. Mas isso não significou nada. Muito pelo contrário.

Comecei a descartar séries e a abandoná-las por pouco. Deixei o blog meio parado por n motivos - a falta de criatividade e o desanimo foram combustíveis para isso. Não me sentia mais tão motivada à preparar os encontros literários. Me sentia uma estranha no ninho. No meu ninho de coisas preferidas e que me deixavam confortáveis! Como eu poderia imaginar que um dia isso ia me acontecer? Até mesmo minhas leituras caíram consideravelmente. Livros que eu lia em menos de uma semana duravam duas. Até três. E não por culpa deles.

Foi - e continua sendo - uma bola de neve sem tamanho. Como eu poderia/posso reverter isso? Foi então que resolvi me engajar em outros assuntos; em outros grupos; em outros ambientes. Agora faço parte de um grupo de planners e papelaria - organização para uma virginiana? Que original hahaha. Comecei a acompanhar seriados que eu nunca imaginei que iria dar uma chance - olá Grey's Anatomy. Faço parte de um clube de cartas. Sim, cartas! E fui aprovada em um concurso público em outra cidade - desespero de me virar sozinha em um local que eu não conheço, apesar de ser próximo. Novidades. Ideias.

Eu preciso voltar a ser a pessoa criativa e animada que era. Mas - ao mesmo tempo - não quero voltar a ser o que era antes. Mesmo esse tempo tendo sido péssimo para minha concentração ou para o surgimento de novas ideias, ele foi válido para minha vida como um todo. E digo mais: ele ainda não passou. Então, provavelmente vou crescer mais com ele do que imagino. Muito por isso, o blog reflete exatamente esse meu tempo reflexivo. Esse tempo criativo parado. Onde está meu melhor momento? 


14/06/16

Resenha | Espada de Vidro

Espada de Vidro 
  • Autor: Victoria Aveyard
  • Editora: Seguinte
  • Páginas: 496
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© MEMÓRIAS LITERÁRIAS - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: SD DESIGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo